Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Salto no preço do níquel prejudica empresas e até produtores do metal na China

    Ao longo da última semana, companhias chinesas enviaram alertas a seus clientes e investidores sobre problemas na produção

    Dow Jones Newswires, do Estadão Conteúdo

    O salto sem precedentes nos preços do níquel na London Metal Exchange (LME) tem prejudicado as operações de produtores do metal e também de empresas da indústria na China que fazem produtos relacionados ao níquel, em uma mostra de como esse movimento reverbera pela cadeia de produção do componente bastante utilizado.

    Ao longo da última semana, mais de seis companhias chinesas – a maioria delas produtoras e fornecedora de níquel – enviaram alertas a seus clientes e investidores sobre problemas pontuais na produção, altas nos preços ou a desaceleração na capacidade de aceitar ou cumprir os pedidos.

    Os preços do níquel, um componente importante usado no aço inoxidável e em baterias elétricas de veículos, dispararam na semana passada, em quadro de cobertura de posições de investidores que estavam vendidos no metal (“short squeeze”).

    Na terça-feira (14), os contratos para três meses do níquel bateram US$ 100 mil a tonelada, levando a LME a suspender as negociações ocorridas naquele dia.

    No fechamento da segunda-feira os contratos estavam em US$ 48.078, ainda assim quase o dobro do nível visto uma semana antes. A LME ainda vai informar quando a negociação do níquel será retomada.

    A forte alta nos preços foi causada em parte pela invasão da Rússia na Ucrânia. Ela afeta companhias diversas. Na Austrália, uma produtora de metais disse que a compra de uma mineradora de níquel por US$ 800 milhões poderia ser adiada, diante do salto nos preços do metal.