Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Shopping centers esperam alta de 14,6% nas vendas neste ano, diz associação

    Abrasce também estimou que faturamento do setor atingirá recorde de R$ 219,8 bilhões em 2023

    Entrada do Barra Shopping, no Rio de Janeiro
    Entrada do Barra Shopping, no Rio de Janeiro Reuters/Ricardo Moraes

    Por Beatriz Garcia, da Reuters

    Os shopping centers do Brasil preveem uma desaceleração no crescimento das vendas neste ano, para 14,6% ante expansão de 20,5% em 2022, informou a associação que representa o setor (Abrasce), nesta quarta-feira (8).

    A entidade também estimou que, apesar da desaceleração, o faturamento do setor atingirá o recorde de R$ 219,8 bilhões em 2023, após R$ 191,8 bilhões em 2022.

    No ano passado, todas as regiões apresentaram crescimento no faturamento, com o Sudeste mostrando aumento de 22% nas vendas, segundo a Abrasce.

    O Nordeste teve alta de 19,9%, Centro-Oeste avançou 18,8%, Sul cresceu 16,9% e Norte teve ganho de 13,8%.

    O setor inaugurou no ano passado oito shopping centers no Brasil, contra cinco em 2021, totalizando 628 shoppings.

    Segundo o levantamento, 15 novos empreendimentos estão previstos para inauguração este ano, sendo oito no Sudeste.

    O número médio de visitantes mensais atingiu 443 milhões, alta de 11,6% sobre 2021.

    A vacância em 2022 foi de 5,6%, índice próximo dos 4,7% registrados em 2019, antes da pandemia.

    Houve também um aumento de 2,3% nos postos de trabalho ocupados, para 1,044 milhão.

    Segundo a associação, os dados refletem a recuperação do setor com a retomada do público presencial após a pandemia.

    “A diminuição da pressão inflacionária e a retomada no crescimento de postos de trabalho, culminando em uma maior massa de rendimentos, principalmente no segundo semestre, contribuíram para o crescimento do setor”, disse o presidente da Abrasce, Glauco Humai.