Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Black Friday: veja como evitar compra de produtos com “preços maquiados”

    De acordo com o Idec, prática do falso desconto ainda é principal abuso na relação de consumo durante data promocional

    44% dos empresários esperam registrar um faturamento superior ao de 2021 na Black Friday deste ano
    44% dos empresários esperam registrar um faturamento superior ao de 2021 na Black Friday deste ano Pickawood/Unsplash

    Pedro Zanattado CNN Brasil Business em São Paulo

    Na próxima sexta-feira (25) acontece a Black Friday, data já famosa pela promessa de promover grandes descontos em diversos produtos, principalmente no varejo online. No entanto, os consumidores devem ficar atentos para ofertas com preços enganosos.

    A expectativa por parte do varejo é alta. Uma pesquisa realizada pela empresa de inteligência analítica Boa Vista mostra que 44% dos empresários esperam registrar um faturamento superior ao de 2021 na Black Friday deste ano.

    Além disso, em um cenário global de preços mais altos e escalada da inflação, os consumidores devem aproveitar ao máximo a data neste ano, sendo que muitos deles já se antecipando para as compras de Natal.

    Mas a data, criada nos Estados Unidos e adotada pelos varejistas brasileira, também acabou ganhando o apelido de “Black Fraude”, já que muitas lojas adotavam a chamada “maquiagem de preço”, ou seja, inflacionava o valor dos produtos dias antes para depois divulgar a venda “com desconto” e dar a impressão ao consumidor de que é uma boa oportunidade de compra, o que ficou conhecido como “tudo pela metade do dobro”.

    Por isso, o CNN Brasil Business lista algumas estratégias que podem ajudar a driblar falsos descontos e encontrar promoções de verdade.

    Prevenção e antecipação

    Para especialistas, a principal dica é a prevenção e antecipação. Ou seja, os consumidores devem acompanhar os preços dos produtos desejados antes de chegar a Black Friday. Assim, será possível identificar se o fornecedor está realmente oferecendo um desconto real.

    “É interessante checar [o produto] com alguma antecedência e anotar ao longo do tempo para verificar se, de fato, terá um preço interessante na Black Friday”, orienta Lucas Marcon, advogado da área de Relacionamento do Idec (Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor).

    Marcon destaca que a prática do falso desconto ainda é o principal abuso na relação de consumo, o que reforça a importância do monitoramento.

    Caso o consumidor efetue uma compra e note posteriormente que acabou pagando um valor maior do que aquele praticado pelo mercado, ele tem o direito de exigir o valor justo.

    “Nesse caso, é importante registrar uma reclamação no Procon, que vai tentar a intermediação com a empresa. É bom que o comprador faça um print (uma cópia da tela da oferta) com todas as informações da compra para comprovar que ele pagou um valor maior do que o praticado”, aconselha Marcon.

    Se por meio do Procon o problema não for resolvido, o consumidor que se sentiu prejudicado pode acionar a justiça de forma gratuita pelo juizado especial.

    O órgão de defesa também aconselha que as pessoas façam capturas de tela ou foto dos preços em períodos anteriores à Black Friday, o que facilita questionamentos caso o preço apresentado na data seja maior ou artificialmente encarecido às vésperas do evento para aparentar ter um grande desconto.

    Para quem não fizer o acompanhamento por conta, existem sites que criam páginas exclusivas com o registro do histórico de preços dos produtos.

    Muitos deles também disponibilizam plug-ins, ferramentas que podem ser instaladas em navegadores, como o Google Chrome, e usadas em sites de compras para comparar preços.

    Zoom

    Para a Black Friday deste ano, a plataforma de comparativo de preços traz algumas ferramentas. O consumidor pode criar um alerta nos produtos que deseja comprar para receber uma notificação quando ocorrer uma oferta.

    O site conta ainda com um histórico de preços que mostra em um gráfico a variação de preços de um produto nos últimos 40 dias ou 6 meses.

    Buscapé

    Também com uma seção para a Black Friday, o site do Buscapé permite pesquisar produtos por faixa de preço e de desconto. Além de possuir o histórico de preços e o alerta de ofertas. A plataforma disponibiliza selos indicando os produtos que possuem cashback.

    Black Friday de Verdade

    Lançada em 2014, a Black Friday de Verdade é mais uma plataforma que pode auxiliar os consumidores. O site também oferece uma extensão (plug in) para o navegador, que ajuda o consumidor a comparar e monitorar preços nas maiores lojas da internet, além de alguns cupons de desconto.

    A plataforma possui o Termo de Compromisso, no qual todas as lojas da campanha assinam se comprometendo a oferecer descontos reais, condições transparentes e seguras ao consumidor.