Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Mal de vaca louca no Brasil é atípico, confirma laboratório de referência no Canadá

    A CNN teve acesso em primeira mão ao resultado do exame

    Basília RodriguesDaniel Rittnerda CNN

    em Brasília

    O exame sobre o caso de mal da vaca louca no Pará realizado em um laboratório de referência no Canadá confirmou, nesta quinta-feira (2), que se trata de uma infecção atípica.

    Isso reafirma a avaliação de técnicos do governo do Pará e também do Ministério da Agricultura de que foi um caso isolado sem prejuízos para qualidade da carne bovina produzida no Brasil.

    A CNN teve acesso em primeira mão ao resultado do exame, nesta noite. O mal atípico da vaca louca ocorre quando o bovino adoece de forma orgânica, muitas vezes devido à idade, e não por contaminação da ração. O Brasil nunca registrou um caso típico da doença, que é o mais grave.

    Agora, a expectativa do governo federal é de retorno praticamente imediato da venda de carne bovina para China, nosso principal comprador. A comercialização está suspensa desde o dia 23 de fevereiro, quando veio à tona a confirmação da doença em um boi de 9 anos, no Pará. O animal foi sacrificado e a carcaça incinerada.

    Na segunda-feira (27), houve uma videoconferência entre o Ministério da Agricultura e a cúpula da Administração Geral de Aduanas da China (GACC). A reunião foi conduzida pelo secretário de relações internacionais da pasta, Roberto Perosa, homem de confiança do ministro Carlos Fávaro.

    De acordo com relatos feitos à CNN, foi uma conversa “bem aprofundada” e “muito positiva”, na qual os chineses cumprimentaram o governo brasileiro pela transparência na condução do caso. A sinalização é de retomada das exportações em curto prazo.

    O mesmo deve ocorrer com Tailândia, Irã e Jordânia que também deixaram de comprar a proteína brasileira, temporariamente.