Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Megaleilão de linhas de transmissão deve atrair R$ 15,7 bi em investimentos

    Certame nesta sexta-feira (30) oferecerá nove lotes, com 6.184 quilômetros de redes, em sete estados

    Daniel Rittnerda CNN

    Brasília

    O governo dá início, nesta sexta-feira (30), a uma sequência de três grandes leilões de energia que podem deflagrar investimentos de mais de R$ 50 bilhões em novas linhas de transmissão.

    O certame de hoje oferecerá nove lotes, com 6.184 quilômetros de redes, em sete estados — São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Espírito Santo, Bahia, Pernambuco e Sergipe.

     

    Trata-se de um dos maiores leilões de transmissão já realizados pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), com investimentos previstos de R$ 15,7 bilhões.

    Os contratos firmados terão 30 anos de vigência.

    Os lotes que serão concedidos buscam aumentar a capacidade de escoamento da energia produzida por usinas fotovoltaicas e parques eólicos, além de dar mais confiabilidade de atendimento à região metropolitana de Recife, entre outras melhorias de infraestrutura.

    Um dos grandes pontos no radar do mercado é a atuação da Eletrobras. A gigante do setor elétrico foi privatizada, em 2022, justamente com o argumento de que assim teria mais condições de fazer investimentos em expansão dos seus ativos.

    Em entrevista à CNN, nesta quinta-feira (29) à noite, o ministro de Minas e Energia, Alexandre Silveira, disse que espera uma presença ativa da Eletrobras no leilão.

    Silveira também citou a chinesa State Grid, a espanhola Iberdrola e a portuguesa EDP como prováveis participantes da disputa.

    “Estamos otimistas”, afirmou.

    O prazo para a conclusão das obras será de 36 a 66 meses, dependendo do lote.

    Alguns pontos de preocupação mencionados por investidores são o risco de atraso na obtenção de licenças ambientais, já que parte das linhas passará por terras de quilombolas e por fragmentos de Mata Atlântica, e o excesso de encomendas entre fabricantes de equipamentos de energia.