Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Mercado reduz para 4,95% projeção para a inflação de 2023, diz Focus

    Mesmo com a redução das estimativas para a inflação, os economistas ouvidos pelo BC para o Boletim Focus optaram por manter a projeção para os juros em 2023

    Dimalice Nunesda CNN

    São Paulo

    Na véspera da divulgação do Índice de Preços ao Consumidor (IPCA) de junho, o mercado reduziu novamente suas expectativas para a inflação de 2023, desta vez de 4,98% para 4,95%.

    Os dados fazem parte do Boletim Focus, divulgado na manhã desta segunda-feira pelo Banco Central (BC).

    A mediana das expectativas para a inflação nos próximos anos, porém, foi mantida, em 3,92% em 2024; 3,60 em 2025 e 3,50% em 2026.

    O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas (IBGE) divulgará, às 9h na terça-feira (11) o IPCA de junho.

    Para os juros, depois da redução de estimativas vista na semana passada, o mercado optou pela manutenção. Para 2023, a projeção ficou em 12%. Para os anos seguintes, 2024 e 2025, se mantiveram em 9,5% e 9%. Alteração apenas em 2026, com aumento de 8,63% para 8,75% na mediada das estimativas dos economistas.

    No dia 21 de junho o Comitê de Política Monetária (Copom) manteve a taxa básica de juros em 13,75% ao ano. Foi a sétima vez seguida que o Comitê decide pela manutenção da taxa. Assim, o patamar de juros no país continua no maior nível desde dezembro de 2016.

    Era unânime a expectativa entre economistas de que o colegiado iria manter novamente a Selic em 13,75% ao ano. Para uma grande parte dos especialistas, porém, foi a última vez.

    Um sinal mais forte de que o ciclo de aperto monetário pode estar no fim veio uma semana depois, com a ata da reunião. Nela, os membros sinalizaram que há espaço para o início do corte da taxa básica de juros já a partir do próximo encontro, marcado para agosto.

    No câmbio, apesar da queda acumulada nos últimos meses, os economistas ouvidos para o Focus mantiveram em R$ 5 a estimativa para o dólar ao fim de 2023.

    Para 2024, houve redução de R$ 5,08 para R$ 5,06 e de R$ 5,17 para R$ 5,15 em 2025. Para 2026, outra manutenção, em R$ 5,20.

    Mesmo com a sinalização de que o ciclo de aperto monetário pode estar chegando ao fim, o mercado manteve suas projeções para o crescimento da economia em 2023 e 2024, em 2,19% e 1,28%, respectivamente.

    Para os anos seguintes, 2025 e 2026, queda nas projeções para o Produto Interno Bruto (PIB): de 1,81% para 1,80% e de 1,90% para 1,88%.