Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Governo abre livre mercado de energia elétrica a consumidores de alta tensão

    Liberalização do chamado "ACL" (ambiente de contratação livre) ocorre após a realização de um consulta pública sobre o tema

    Medida permite que aproximadamente 106 mil novas unidades consumidoras estejam aptas a migrar para o mercado livre de energia elétrica
    Medida permite que aproximadamente 106 mil novas unidades consumidoras estejam aptas a migrar para o mercado livre de energia elétrica 27/07/2022REUTERS/Wolfgang Rattay

    da Reuters

    O Ministério de Minas e Energia publicou nesta quarta-feira (28) uma portaria permitindo que todos os consumidores conectados em alta tensão possam aderir ao mercado livre de energia elétrica, tendo a possibilidade de negociarem livremente preços e condições de contratação de energia diretamente de um supridor.

    A liberalização do chamado “ACL” (ambiente de contratação livre) ocorre após a realização de um consulta pública sobre o tema.

    Segundo a pasta, a medida permite que aproximadamente 106 mil novas unidades consumidoras estejam aptas a migrar para o mercado livre de energia elétrica, que hoje é composto principalmente de médios e grandes empresas, como indústrias e shopping centers.

    Em nota, o governo disse ainda que estudos e projeções de mercado realizados apontam que a abertura para a alta tensão não provocará impactos aos consumidores do mercado cativo, isto é, atendidos pelas distribuidoras de energia.

    “A abertura do mercado traz maior liberdade de escolha para os consumidores, com a consequente ampliação da competitividade, ao permitir o acesso a outros fornecedores além da distribuidora”, disse o ministério.

    “Além disso, a concorrência tende a proporcionar preços mais interessantes, melhorando a eficiência do setor elétrico e da economia brasileira”, acrescentou.

    O próximo passo, segundo a pasta, será abrir o mercado livre a todos os consumidores do país.

    “Em breve o tema será discutido em consulta pública específica para tratamento dos consumidores de baixa tensão”.