Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Dólar fecha no maior valor em 6 meses com inflação dos EUA no radar; Ibovespa recua 0,5%

    Índice de preços ao produtor veio com uma leitura um pouco mais baixa do que o esperado

    Homem tira foto de painel de cotações na bolsa de São Paulo
    Homem tira foto de painel de cotações na bolsa de São Paulo 21/03/2019REUTERS/Nacho Doce

    Da CNN*

    São Paulo

    O dólar bateu a máxima em seis meses e o Ibovespa teve mais uma sessão de perdas nesta quinta-feira (11), com investidores ainda digerindo dados da inflação e de emprego nos Estados Unidos.

    O principal índice do mercado doméstico fechou a sessão com recuo de 0,51%, aos 127.396 pontos, com pressão negativa de Eletrobras e Petrobras contrapondo o movimento de alta em Wall Street.

    Após abrir o dia em queda, o dólar inverteu e encerrou o dia com avanço de 0,24%, negociado a R$ 5,090 na venda. Este é o maior valor de fechamento desde 9 de outubro do ano passado, quando foi cotado a R$ 5,131. Em abril, a divisa acumula elevação de 1,50%.

    Relatório do Departamento do Trabalho mostrou que o índice de preços ao produtor (PPI, na sigla em inglês) dos EUA subiu menos do que o esperado.

    O índice avançou 0,2% na comparação mensal em março, contra aumento de 0,3% esperado por economistas consultados pela Reuters. Anualmente, a alta foi de 2,1%, contra expectativa de 2,2%.

    O dado, no entanto, não chegou nem perto de compensar a frustração da véspera com uma leitura acima do esperado de preços ao consumidor (CPI).

    Na quarta-feira (10), dados mostraram que a inflação nos EUA ficou em 0,4% no mês passado, depois de avançar pela mesma margem em fevereiro. Nos 12 meses até março, o índice aumentou 3,5%. Economistas consultados pela Reuters previam que o índice subiria 0,3% no mês e 3,4% na base anual.

    Eletrobras lidera perdas

    As ações da Eletrobras lideraram as perdas do pregão com os papéis ordinários (ELET3) fechando com recuo de 4,62%.

    O movimento segue a baixa da véspera em meio a uma forte queda nos preços de contratos de energia elétrica negociados no mercado livre após a divulgação da atualização de estimativas para o crescimento da carga no Brasil por parte de órgãos do setor elétrico ligados ao Ministério de Minas e Energia, conforme relatório do Itaú BBA divulgado esta semana.

    Também no campo positivo, as ações ordinárias da Petrobras (PETR3) cederam 0,90%, seguindo a queda do petróleo no mercado internacional.

    O clima negativo foi acentuado pelo avanço de 0,42% dos papéis da Vale (VALE3) — companhia com maior peso no mercado — com nova alta dos futuros do minério de ferro na Ásia, após divulgações de dados na China levarem a esperanças renovadas de mais estímulos no segundo trimestre para sustentar a economia.

    *Com Reuters