Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Ouro recua com dólar forte, mas prata cresce e se aproxima de recorde

    Na Comex, divisão de metais da New York Mercantile Exchange, ouro previsto para junho fechou em queda de 0,65% e a prata avançou 0,8%

    Barras de ouro
    Barras de ouro Banco Central do Brasil via Flickr

    Estadão Conteúdo

    O ouro recuou nesta quarta-feira, 29, diante do fortalecimento do dólar contra divisas desenvolvidas.

    Na contramão, a prata teve alta e se aproximou ainda mais de novo recorde de fechamento, enquanto o metal se torna protagonista nas agendas verdes internacionais.

    Na Comex, divisão de metais da New York Mercantile Exchange (Nymex), o ouro com entrega prevista para junho fechou em queda de 0,65%, a US$ 2.341,20 a onça-troy.

    A prata para julho avançou 0,8%, a US$ 32,373 a onça-troy.

    Segundo o analista de Mercados do City Index, Matt Simpson, o novo recorde histórico do ouro no início da semana não teve grandes catalisadores.

    Logo após o movimento os preços mergulharam em queda durante uma duradoura realização de lucros.

    Ele afirma que a recuperação foi pontual, e os preços devem permanecer ancorados até um novo catalisador.

    Enquanto isso, o City Index destaca que as agendas verdes globais e o avanço exponencial da inteligência artificial catapultem a demanda por prata, que se encontra no nível mais elevado da última década.

    Hoje, o preço do ouro também sofreu com a alta do dólar, enquanto investidores já tomam posições para a rodada de indicadores sobre a economia americana na quinta e sexta-feira, em que serão divulgados o Produto Interno Bruto (PIB) dos EUA no primeiro trimestre e a leitura do índice de preços de gastos com consumo (PCE, na sigla em inglês) em abril.