Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Autoridades investigam movimento incomum durante voo de avião da Boeing

    Acidente foi controlado pela tripulação e não deixou feridos a bordo

    Logo da Boeing
    Logo da Boeing na França18/6/2023 REUTERS/Benoit Tessier/Arquivo

    Gregory Wallaceda CNN

    As autoridades federais e a Boeing estão tentando descobrir por que um 737 Max 8 apresentou uma oscilação rara e insegura para frente e para trás durante o voo.

    O movimento oscilante é conhecido como rolagem holandesa, e uma característica descrita pela Administração Federal de Aviação (FAA) é o nariz de uma aeronave fazendo um oito.

    Não houve feridos a bordo do voo 746 da Southwest Airlines em 25 de maio, conforme a companhia aérea e um relatório preliminar da FAA. O relatório diz que a tripulação “recuperou o controle” e o avião pousou em segurança.

    Mas a aeronave sofreu danos “substanciais” e a FAA classificou o incidente como um “acidente”. O relatório da FAA disse que uma inspeção “revelou danos à PCU de reserva”, ou unidade de controle de potência, que controla o leme.

    Não está claro se a unidade danificada foi a causa ou o resultado do rolamento.

    O avião não voou desde o pouso em Oakland, Califórnia, após o incidente, exceto para ser transferido para uma instalação da Boeing no estado de Washington. A Boeing não fez nenhum comentário imediato à CNN.

    A Southwest disse à CNN que encaminhou o incidente à FAA e ao National Transportation Safety Board (NTSB) e que está participando e apoiando a investigação.

    O incidente ocorreu há quase três semanas, adicionado a um banco de dados da FAA esta semana. Havia 175 passageiros e seis tripulantes a bordo, segundo a companhia aérea.

    A CNN entrou em contato com o NTSB. O órgão não informou se está investigando o incidente.

    Em fevereiro, a FAA exigiu que as companhias aéreas que voam em algumas aeronaves 737 Max 8 e similares inspecionassem o conjunto do leme para verificar se havia porcas, arruelas e parafusos soltos ou ausentes.

    Segundo a FAA, a falha impediria os pilotos de controlar o leme usando os pedais. As autoridades não informaram se essa condição e o rolamento holandês no mês passado estão relacionados.

    Um movimento incomum

    A maioria dos passageiros nunca sentiu um avião fazer esse movimento — e a maioria dos pilotos de companhias aéreas nunca o experimentou em um voo real.

    “É muito obscuro (…) É um movimento muito desconfortável e você sente a cauda balançando”, disse à CNN a analista de segurança da aviação e ex-piloto de avião Kathleen Bangs.

    Enquanto se movem para frente em voo, os aviões podem girar ao longo de três eixos: O nariz para cima e para baixo, conhecido como inclinação; as asas mergulhando para baixo ou levantando para cima, conhecido como rolagem; e a cauda se deslocando para a esquerda ou para a direita, conhecido como guinada.

    Os aviões giram usando uma combinação normalmente contínua de rotação e guinada coordenada pelos computadores da aeronave. Essas aeronaves grandes também têm amortecedores de guinada que fazem pequenos ajustes durante o voo.

    No rolamento holandês, o avião rola e guina excessivamente. Os passageiros sentiriam o avião se deslocar para um lado e voltar para o outro — movendo-se para frente e para trás, disse Bangs.

    Ela disse que os pilotos de avião treinam para cenários onde os amortecedores de guinada falham. Eles podem levar um simulador de aeronave a uma altitude elevada e desligar o amortecedor de guinada.

    “Depois, pisam no pedal do leme com muita força para tentar iniciar [a rolagem] no simulador”, explicou Bangs.

    Para sair de um rolamento holandês, os pilotos podem desacelerar a aeronave e descer para um ar mais denso. As aeronaves modernas são projetadas para serem inerentemente estáveis no ar, disse ela, de modo que o avião pode retornar ao voo nivelado com o mínimo de intervenção adicional.

    Mas as forças podem ser poderosas. Em 1959, quatro dos oito ocupantes de um voo de teste e treinamento do Boeing 707 faleceram nos arredores de Washington, DC, depois de um rolamento holandês extremamente acentuado.

    “A aeronave imediatamente guinou e rolou violentamente para a direita”, diz um relatório do Civil Aeronautics Board, que investigou o incidente.

    “Seguiram-se várias oscilações e, depois que o controle da aeronave foi recuperado, foi determinado que três dos quatro motores haviam se separado da aeronave e que ela estava em chamas”.

    Este conteúdo foi criado originalmente em inglês.

    versão original