Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    BNDES concede linha de R$ 110 mi para metalúrgica investir na redução de emissões

    Segundo o banco, com a implantação dos recursos, empresa deve ter ganhos de produtividade e menor emissão de gases poluentes

    O apoio financeiro aprovado de R$ 110 milhões será concedido à metalúrgica Ligas de Alumínio (Liasa).
    O apoio financeiro aprovado de R$ 110 milhões será concedido à metalúrgica Ligas de Alumínio (Liasa). Fernando Frazão/Agência Brasil

    da Reuters

    O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) vai conceder o primeiro empréstimo no âmbito de um novo programa com juros menores para empresas que reduzirem emissões ou aumentarem iniciativas sociais.

    O apoio financeiro aprovado de R$ 110 milhões será concedido à metalúrgica Ligas de Alumínio (Liasa).

    Segundo o banco, os recursos serão usados para adaptação tecnológica dos fornos industriais da Liasa e para implantar novos filtros, o que deve trazer ganhos de produtividade, reduzindo emissões de gases poluentes na produção de silício.

    O acordo define contrapartidas em até dois anos: publicar a política de responsabilidade socioambiental, incluir prioridades de educação e diversidade na política de investimento social e a apresentação de seu relatório de sustentabilidade.

    O banco poderá reduzir a taxa de juros do empréstimo em até 0,4 ponto percentual ao ano caso a Liasa cumpra com as melhorias de indicadores ligados a certificações socioambientais. O custo do crédito será de 1,7% ao ano podendo chegar a 1,3% ao ano.

    O financiamento aprovado pelo banco faz parte do programa BNDES CRÉDITO ASG, lançado em agosto de 2021 para incentivar práticas mais eficientes e sustentáveis.

    “O programa foi inspirado nas melhores práticas internacionais de políticas de concessão de crédito”, afirmou o diretor de Crédito Produtivo e Socioambiental do BNDES, Bruno Aranha. O programa tem orçamento de um bilhão de reais.