Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Saudita Aramco, maior produtora de petróleo do mundo, planeja elevar investimentos na China

    Aramco planeja adquirir 50% em subsidiária chinesa, além de acordo com outras refinarias

    Unidade de processamento de petróleo bruto da Saudi Aramco
    Unidade de processamento de petróleo bruto da Saudi Aramco Dina Khrennikova/Bloomberg via Getty Images

    Laura Heda CNN

    Hong Kong

    A gigante saudita de energia Aramco, maior empresa integrada de petróleo e gás do mundo, está planejando aumentar seu investimento com sua parceira chinesa, à medida que expande sua presença no país.

    Em um documento apresentado à Bolsa de Valores de Shenzhen, a empresa chinesa Rongsheng Petrochemical afirmou que está em negociações com a Aramco, que quer adquirir uma participação máxima de 50% na sua subsidiária, a Ningbo Chongjin Petrochemical.

    A Rongsheng, uma refinaria privada sediada em Hangzhou, disse que também está discutindo a possibilidade de adquirir uma participação de 50% na Saudi Aramco Jubail Refinery Company, a unidade de refino da empresa saudita, citando um memorando de entendimento que os dois lados assinaram.

    As empresas também poderiam atualizar e expandir conjuntamente os equipamentos da subsidiária chinesa e construir o enorme projeto Rongsheng New Materials (Zhoushan), disse Rongsheng.

    O projeto produzirá produtos petroquímicos de alto desempenho, como plásticos de engenharia, poliéster especial e resinas de alta qualidade que podem ser usados em dispositivos eletrônicos e semicondutores, disse.

    A Arábia Saudita fortaleceu significativamente seus laços energéticos com a China desde o ano passado.

    Em março, a Aramco concordou em comprar uma participação de 10% na Rongsheng por 24,6 bilhões de yuans (US$ 3,5 bilhões/R$ 17,5 bilhões). Como parte do acordo, ela forneceria 480.000 barris por dia de petróleo bruto para a empresa chinesa.

    A China também tem procurado aumentar sua presença no país do Oriente Médio. Gigante estatal do refino, a Sinopec, tem uma joint venture com a Aramco que opera um projeto de refinaria na Cidade Industrial de Yanbu, na Arábia Saudita.

    Em operação de 2016, a Yanbu Aramco Sinopec Refining Company usa 400.000 barris por dia de petróleo bruto pesado da Arábia para produzir combustíveis de transporte premium, segundo a empresa.

    No mês passado, Hong Kong estendeu o tapete vermelho para as elites sauditas em uma conferência de investimentos.

    Além disso, em fevereiro de 2023, o executivo-chefe da cidade, John Lee, viajou para Riad, onde se reuniu com o CEO da Aramco e apresentou a ideia de uma listagem secundária em Hong Kong, de acordo com um comunicado do governo.

    A Aramco abriu seu capital em Riad em 2019, no que foi então a maior IPO de todos os tempos.

    Matéria traduzida do inglês: Leia a reportagem original aqui

    Este conteúdo foi criado originalmente em inglês.

    versão original