Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Sem pandemia e sem investidores, Pfizer anuncia novo corte de custos de US$ 1,5 bi até 2027

    Empresa espera encargos relacionados a custos de rescisão e implementação no valor de US$ 1,7 bilhão

    Ações da Pfizer fecharam em alta, mas longe do pico atingido com a pandemia
    Ações da Pfizer fecharam em alta, mas longe do pico atingido com a pandemia 29/10/2015 - REUTERS/Carlo Allegri

    Reuters

    A farmacêutica norte-americana Pfizer lançou nesta quarta-feira (22) um novo programa plurianual para reduzir suas despesas em cerca de US$ 1,5 bilhão até o final de 2027, somando-se a um plano de corte de custos de US$ 4 bilhões anunciado no ano passado.

    Os investidores têm fugido da Pfizer conforme as preocupações com a pandemia diminuíram e bilhões de dólares em vendas de vacinas e tratamentos para a Covid-19 desapareceram.

    As ações da Pfizer subiram 2,6%, para US$ 29,30, no pregão desta quarta. Os papéis ainda estão cerca de 24% abaixo do valor do ano passado e aproximadamente pela metade do valor máximo durante o pico da pandemia em dezembro de 2021.

    A Pfizer fez a divulgação nesta quarta-feira, em um documento enviado à SEC, órgão que regula o mercado de capitais nos Estados Unidos.

    A empresa afirmou que registrará encargos únicos, relacionados principalmente a custos de rescisão e implementação, no valor de US$ 1,7 bilhão como parte do novo programa.

    A expectativa é de que a maioria dos encargos seja registrada este ano, com os desembolsos reais de caixa previstos para 2025 e 2026.

    O foco estará em “eficiência operacional, mudanças na estrutura da rede e melhorias no portfólio de produtos”, disse a empresa.

    A Pfizer disse que o programa levará vários anos devido à complexidade na fabricação e aos prazos mais longos necessários para implementar as mudanças.

    Um porta-voz disse que nenhum dos cortes de pessoal associados ao novo programa foi anunciado ainda.