Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Ser fã da Disney tem ficado cada vez mais caro; entenda

    Viagens aos parques, cruzeiros e serviços de streaming apresentaram aumentos nos últimos anos

    Um ingresso de um dia para a Disney World durante a alta temporada de férias aumentou 47% desde 2019, superando muito a taxa de inflação
    Um ingresso de um dia para a Disney World durante a alta temporada de férias aumentou 47% desde 2019, superando muito a taxa de inflação 14/12/2017 - REUTERS/Brendan McDermid

    Samantha Delouyada CNN

    Depois de uma recente viagem com o marido e os dois filhos ao Walt Disney World Resort em Orlando, Flórida, Gina Lee disse que sentiu como se tivesse perdido “toda a noção de dinheiro e tempo”.

    “Tudo ficou mais caro. É uma loucura”, disse a criadora de conteúdo de Nova York. “Sinto que quando você vai para a Disney, é quase como planejar um casamento. Você pensa: ‘Eh, eu já estou nele, o que são mais 20 ou 30 dólares? Antes que você perceba, já está fora de controle — mas você está nessa mentalidade da Disney.”

    Nos últimos dois anos, os preços subiram em todo o universo da Disney. Não apenas as visitas aos parques temáticos ficaram mais caras, mas também os cruzeiros de férias, os souvenirs e os serviços de streaming da empresa.

    Seu programa de timeshare, o Disney Vacation Club, aumentou os preços a partir de 30 de janeiro. Durante o verão, a Disney aumentou discretamente US$ 10 em dois dos restaurantes exclusivos para adultos a bordo de seus navios de cruzeiro para US$ 135 por pessoa para o jantar, de acordo com o Disney Cruise Line Blog.

    Alguns desses aumentos são modestos e comuns aos rivais da Disney nos setores de entretenimento e viagens. A inflação também desempenhou um papel importante. Mas uma coisa é certa: ser um fã da Disney nunca foi tão caro.

    Os aumentos de preços ocorrem em um momento em que a Disney enfrenta um divisor de águas em sua história. A gigante global do entretenimento está lutando contra uma transição ainda não lucrativa para o streaming, erros recentes de bilheteria — como o filme de animação “Wish”, lançado em novembro — e um plano assustador de sucessão do CEO. Uma batalha legal com Ron DeSantis, o governador da Flórida, estado que abriga os maiores e mais lucrativos parques temáticos da Disney, também está em andamento.

    Os investidores da Disney parecem estar se recuperando da incerteza: as ações da empresa caíram 11% nos últimos cinco anos.

    A CNN entrou em contato com a Disney, mas não obteve resposta.

    Enquanto isso, os ingressos para os principais parques aumentaram de preço.

    Um ingresso de um dia para a Disney World durante a alta temporada de férias aumentou 47% desde 2019, superando muito a taxa de inflação, de acordo com Don Munsil, presidente da MouseSavers, um guia on-line de descontos e ofertas nos parques temáticos da Disney e da Universal.

    Para uma família de quatro pessoas, passando dois dias nos parques Disneyland e California Adventure no primeiro fim de semana de março — que não é um período de pico — pagarão US$ 1.310 em ingressos e estacionamento.

    O Genie+, um passe que acelera a passagem dos compradores em algumas filas de atrações, acrescenta US$ 240 ao total. Isso equivale a quase US$ 1.600 — antes das orelhas de rato e das pernas de peru gigantes, tradicionais compras no parque.

    Aumento de preços nos seus parques e cruzeiros

    As vantagens com as quais os clientes da Disney estavam acostumados também começaram a desaparecer. Nos últimos dois anos, os ônibus gratuitos do aeroporto para os parques na Flórida foram eliminados e o sistema FastPass, que antes era gratuito, foi substituído pelo Genie+, que custa a partir de US$ 25 por dia.

    “Ao longo do tempo em que estamos operando o MouseSavers, certamente vimos a Disney introduzir mais upsells (opções “mais completas” e mais caras)”, disse Munsil.

    A Disney começou a aumentar os preços de seus cruzeiros “muito rapidamente”, disse ele, embora tenha acrescentado que o aumento da demanda pelos navios da Disney tenha desempenhado um papel importante.

    Brittany Huizinga, agente de viagens da Smart Moms Travel, com sede no Arizona, fez uma viagem em duas partes com seu marido e dois filhos durante a temporada de férias. As primeiras quatro noites foram passadas no Walt Disney World e as últimas cinco noites em um navio da Disney Cruise.

    “Incluindo a passagem aérea do Arizona para a Flórida, o aluguel de um carro e todas as excursões extras que fizemos no cruzeiro, foram cerca de US$ 20.000”, disse ela, ou mais de US$ 2.000 por dia.

    Os esforços de redução de custos da Disney

    No entanto, não foram apenas as experiências presenciais que aumentaram de preço. No outono, a Disney aumentou o preço de seu principal serviço de streaming, o Disney+, e o CEO Bob Iger sinalizou que a empresa tomaria medidas para reprimir o compartilhamento de senhas em 2024.

    Em seu relatório anual de 2023, divulgado em novembro, a Disney citou “condições inflacionárias recentes” como a razão por trás de alguns de seus custos aumentados. No entanto, o relatório também elucidou algumas das dificuldades do point do Mickey: a receita operacional na divisão de entretenimento da empresa caiu 32% entre 2022 e 2023.

    Depois de um ano de decepções nas bilheterias e de grandes investimentos no Disney+, a empresa procurou maneiras de economizar dinheiro. Em novembro, a Disney anunciou que cortaria suas despesas em mais US$ 2 bilhões, além da redução de US$ 5,5 bilhões anunciada anteriormente, com milhares de cortes de empregos.

    Doug Arthur, analista que cobre a Disney para a Huber Research Partners e tem uma classificação de “compra” para as ações, está confiante de que o dinheiro virá em breve para o negócio de streaming da Disney.

    “Eles ganharão dinheiro com isso, e provavelmente ganharão muito. Não estou muito preocupado com o fato de ser neste trimestre, no próximo trimestre, neste ano ou no próximo ano”, disse ele. “Isso vai acontecer.”

    Na terça-feira, a ESPN da Disney, juntamente com a Fox Corporation e a Warner Bros. Discovery (empresa controladora da CNN) fizeram o anúncio, antes impensável, de que se uniriam para criar um novo serviço de streaming para abrigar seus ativos esportivos. Cada empresa será proprietária de um terço do novo serviço.

    A Disney disse que espera tirar seu negócio de streaming do vermelho até o final deste ano. Porém, por enquanto, como a maioria das empresas que enfrentam custos crescentes, parece ter repassado parte desses aumentos para seus clientes.

    Lee disse que elaborou uma estratégia para reduzir os custos adicionais de suas férias na Disney, incluindo a compra antecipada de réplicas mais baratas das orelhas do Mickey Mouse na Amazon.

    As bandanas com orelhas do ratinho da marca Disney, vendidas nos parques temáticos da empresa e on-line, aumentaram de preço nos últimos anos, juntamente com outras mercadorias da marca Disney. De acordo com a Wayback Machine, uma biblioteca digital de sites históricos, as bandanas aumentaram quase 17% desde 2022.

    Este conteúdo foi criado originalmente em inglês.

    versão original