Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Unidade de bovinos da JBS receberá R$ 150 mi e se tornará a maior da América Latina

    Volume processado diariamente na fábrica passará de 2,2 mil para 4,4 mil animais, enquanto a quantidade de colaboradores vai saltar de 2,3 mil para 4,6 mil

    Foto: Renan Aires

    Da CNN

    A unidade de bovinos da JBS em Campo Grande, no Mato Grosso do Sul, terá sua capacidade de processamento e força de trabalho duplicada, anunciou a companhia nesta sexta-feira (12).

    Assim, a unidade será a maior planta de carne bovina de toda a América Latina.

    A Companhia afirma que vai investir R$ 150 milhões para permitir que, em um ano, o volume processado diariamente na fábrica passe de 2,2 mil para 4,4 mil animais, enquanto a quantidade de colaboradores vai saltar de 2,3 mil para 4,6 mil.

    A JBS realizou o anúncio em evento que marcou o primeiro embarque de carne bovina dessa fábrica para a China. A unidade Campo Grande II da JBS foi uma das 38 habilitadas pelo governo chinês, em 12 de março passado.

    Antes dessa recente lista de habilitações, divulgada pelo governo chinês em 12 de março, o Brasil contava com 106 plantas habilitadas para exportar ao país asiático. Agora são 144.

    A unidade Campo Grande II, uma das habilitadas em março, foi construída em 2007 e adquirida pela JBS em 2010. A planta produz 440 toneladas de carne e 136 toneladas de hambúrgueres (ou 2,4 milhões de unidades) diariamente.

    Além da China, a fábrica pode exportar para Estados Unidos, Argélia, Egito, Emirados Árabes Unidos, Argentina, União Europeia e Chile, entre outros.

    “Operamos em muitos países ao redor do mundo e nenhum deles é hoje tão atrativo quanto o Brasil para se investir no agronegócio”, disse Gilberto Tomazoni, CEO global da JBS.

    Estiveram presentes no evento o presidente Lula, o ministro da Agricultura e Pecuária, Carlos Fávaro, a ministra do Planejamento e Orçamento, Simone Tebet, a ministra das Mulheres, Aparecida Gonçalves, e o governador de Mato Grosso do Sul, Eduardo Riedel.

    *Publicado por Danilo Moliterno.