Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Nordeste receberá mais de R$ 120 bi em investimentos para energia limpa, diz ministro

    Segundo o ministro de Minas e Energia, Alexandre Silveira, serão leiloados R$ 16 bilhões de energia no primeiro semestre

    Ministro disse que investimento prevê instalação de um potencial de 30 Giga Watts (GW) de geração renovável
    Ministro disse que investimento prevê instalação de um potencial de 30 Giga Watts (GW) de geração renovável Getty Images/Yaorusheng

    Diego Mendesda CNN

    São Paulo

    O ministro de Minas e Energia, Alexandre Silveira, anunciou nesta sexta-feira (5), o Plano de Investimento em Transmissão de Energia para a região Nordeste. Segundo ele, o programa viabilizará a instalação de um potencial de 30 Giga Watts (GW) de geração renovável.

    “Isso, levará a destravar mais de R$ 120 bilhões em investimentos privados em área de geração renovável.”

    O comunicado foi feito durante o encontro sobre energias renováveis do Consórcio dos Governadores do Nordeste, em Fortaleza.

    Silveira disse que recebeu uma diretriz do presidente Luiz Inácio Lula da Silva de transformar o Nordeste brasileiro no maior celeiro de energia limpa e renovável do mundo.

    “Os leilões, tão fundamentais e imprescindíveis para que isso aconteça, vão acontecer e trarão mais de R$ 56 bilhões em investimentos para transmissão de energia no nordeste.”

    Neste primeiro semestre, o ministro adiantou que, por meio da Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica), serão leiloados R$ 16 bilhões em energia. Após isso, mais R$ 20 bilhões serão leiloados até o final de 2023, e outros R$ 20 bilhões estão programados para 2024.

    “Vamos trabalhar para que, em um futuro próximo, possamos consumir essa energia aqui mesmo, na região nordeste, abrindo mais indústria, produzindo hidrogênio verde, gerando mais emprego e renda para o povo nordestino.”

    Segundo Silveira, os investimentos em transmissão vão viabilizar o ingresso de energia renovável no sistema nacional e diminuir os custos para os consumidores.