Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Oxford Economics: greve de Hollywood não muda nossa projeção para EUA, mas riscos podem crescer

    Riscos negativos para emprego e Produto Interno Bruto (PIB) dos Estados Unidos vão aumentar enquanto a paralisação persistir

    Painel icônico de Hollywood
    Painel icônico de Hollywood 01/02/2019REUTERS/Mike Blake

    Maria Lígia Barros, do Estadão Conteúdo

    A Oxford Economics afirmou que a greve de atores e roteiristas de Hollywood não muda significativamente suas projeções de curto prazo para emprego e Produto Interno Bruto (PIB) dos Estados Unidos (EUA), mas que riscos negativos vão aumentar enquanto a paralisação persistir.

    Por outro lado, parte da produção perdida será recuperada após o término das greves da Screen Actors Guild-American Federation of Television and Radio Artists (SAG-AFTRA), segundo relatório da consultoria.

    Os custos econômicos relacionados à greve serão mais notáveis em regiões onde a indústria se concentra, de acordo com a Oxford Economics. A consultoria estima que a paralisação vai custar à economia da Califórnia cerca de US$ 22,8 milhões por dia.

    “Parte dessas perdas na produção será recuperada quando a greve acabar, mas os custos, particularmente nos estados envolvidos, podem subir rapidamente”, diz o relatório.