Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Irã x Israel: Petróleo deve subir após ataques, mas ganhos podem depender de resposta

    Preocupação com uma resposta do Irã ajudou a elevar o barril do tipo Brent, que é referência global, para US$ 92,18 na sexta-feira, nível mais alto desde outubro

    Por Alex Lawler e Robert Harvey e Ahmad Ghaddar, da Reuters

    Os preços do barril de petróleo deverão subir na segunda-feira (15), após o ataque do Irã a Israel no fim de semana, disseram analistas neste domingo (14). No entanto, ganhos adicionais devem depender de como Israel e o Ocidente decidirem retaliar a ação.

    O Irã lançou drones e mísseis explosivos contra Israel na noite de sábado, em retaliação a um suposto ataque israelense ao seu consulado na Síria, em 1º de abril, no que foi o primeiro ataque direto ao território israelense que alimentou temores de um conflito regional mais amplo.

    A preocupação com uma resposta do Irã ao ataque à embaixada em Damasco aumentou o preço do petróleo na semana passada e ajudou a enviar o Brent, que é referência global, para 92,18 dólares o barril na sexta-feira, o nível mais alto desde outubro.

    Naquele dia, o petróleo subiu 0,71 dólar, batendo 90,45 dólares o barril, enquanto o preço futuro do petróleo West Texas Intermediate (WTI) dos EUA subiu 0,64 dólar, chegando a 85,66 dólares. O mercado está fechado neste domingo.

    “É razoável esperar preços mais altos quando as negociações forem retomadas”, disse Tamas Varga, da corretora de óleo e gás PVM. “Dito isto, não houve impacto na produção até agora e o Irã disse que ‘o assunto pode ser considerado concluído’.

    “Por mais violenta e dolorosa que seja a reação inicial do mercado, a recuperação poderá ser de curta duração, a menos que o fornecimento da região seja materialmente interrompido.”

    (Reportagem de Alex Lawler, Robert Harvey e Ahmad Ghaddar em Londres)