Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Preço do aluguel em Portugal salta 11% e bate recorde em meio à crise de custo de vida

    Valor da alocação de moradias saltou quase 11% no país

    Casas em Lisboa, Portugal
    Casas em Lisboa, Portugal Tom Byrom/Unsplash

    da Reuters

    Os aluguéis de moradias em Portugal saltaram quase 11%, para um recorde no último trimestre de 2022, mostraram dados oficiais nesta quarta-feira (29), aumentando o custo de vida em alta.

    A alta dos preços das casas e dos aluguéis, especialmente na capital Lisboa, juntamente com a inflação desenfreada, altas taxas de juros e baixos salários provocaram vários protestos em Portugal nas últimas semanas, à medida que crescem os conflitos em toda a Europa sobre o custo de vida.

    Os dados mostraram que o preço pedido de novos aluguéis de casas e apartamentos saltou 10,6% em relação ao ano anterior, para uma média de 6,91 euros (US$ 7,49) por metro quadrado, semelhante a um aumento de 11,3% nos preços das casas relatado na semana passada – o maior aumento anual de todos os tempos, apesar da desaceleração econômica e do aumento das taxas de hipoteca.

    Embora os dados indiquem que o apetite por imóveis ainda está muito forte em Portugal, o Instituto Nacional de Estatística informou esta quarta-feira que o número de novos contratos de arrendamento caiu 3,3%.

    Um protesto está programado para ocorrer em Lisboa e outras cidades no dia 1º de abril para exigir moradias populares.

    Na zona da grande Lisboa, as rendas atingiram os 10,38 euros/m2, seguindo-se os 8 euros/m2 na solarenga região do Algarve, popular entre os veraneantes britânicos, refere o gabinete de estatísticas.

    Portugal é um dos países mais pobres da Europa Ocidental, com dados do governo mostrando que mais de 50% dos trabalhadores ganhavam menos de 1.000 euros (US$ 1.055) por mês no ano passado.

    Embora a inflação tenha desacelerado ligeiramente para 8,2% em fevereiro, os preços dos alimentos não processados ​​subiram 20,11%.