Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Produção industrial sobe em 11 dos 15 locais pesquisados em maio, diz IBGE

    Na comparação mensal, a variação foi positiva em 0,3% na passagem de abril para maio, quarto resultado positivo consecutivo

    Maiores altas foram registradas no Amazonas (6,6%) e no Mato Grosso (4,6%)
    Maiores altas foram registradas no Amazonas (6,6%) e no Mato Grosso (4,6%) Rebecca Cook

    Stéfano Sallesda CNN

    no Rio de Janeiro

    A produção industrial brasileira cresceu em 11 dos 15 locais apurados pela Pesquisa Industrial Mensal (PIM Regional), realizada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O dado mais detalhado foi divulgado nesta sexta-feira (8).

    Em termos percentuais, simboliza que aproximadamente 73% dos estados pesquisados registraram maior atividade no setor industrial. Na comparação mensal, a variação foi positiva em 0,3% na passagem de abril para maio, quarto resultado positivo consecutivo.

    As maiores altas foram registradas no Amazonas (6,6%) e no Mato Grosso (4,6%). No entanto, como esses são estados pouco populosos e com menor participação do segmento na economia, a principal contribuição para o resultado nacional veio do Paraná, com alta de 3,5%.

    O resultado reverte parcialmente a perda de 4,1% registrada pelo estado do Sul em abril, como explica Bernardo Almeida, analista da pesquisa.

    “O setor de alimentos foi o que mais influenciou o resultado do Paraná, seguido de máquinas e equipamentos, outro setor bastante importante na indústria do estado”, explica Almeida.

    A segunda maior influência foi a do Amazonas, impulsionada pela indústria de equipamentos de informática, produtos eletrônicos e ópticos, além do setor de bebidas. Em seguida, aparece o impacto da alta de 0,3% de São Paulo, maior parque industrial do país.

    O avanço paulista se deve à melhora dos setores de veículos automotores e de máquinas e equipamentos.

    “Esse índice não suprime a perda sofrida no mês anterior de 3,6%. Com esse resultado de 0,3% na passagem de abril para maio, São Paulo continua 1,9% abaixo de seu patamar pré-pandemia e 23,4% abaixo em relação ao patamar mais alto da série histórica, em março de 2011”, conclui o coordenador da pesquisa.

    Goiás (3,2%), Espírito Santo (2,8%), Santa Catarina (1,6%) e Rio Grande do Sul (0,7%) foram outros estados que apresentaram elevação superior à média nacional. Na outra ponta, houve recuo em três localidades: Pará (13,2%), Rio de Janeiro (4,1%) e Pernambuco (2,4%).

    A situação de momento é melhor que a do acumulado dos últimos 12 meses, no qual a produção industrial recuou em nove dos 15 locais pesquisados. Essa é a situação de Amazonas, Bahia, Ceará, Nordeste, Pernambuco, Santa Catarina, São Paulo, Pará e Rio Grande do Sul.

    Entre as variações positivas no acumulado do mesmo período, destaque para as produções industriais do Mato Grosso (10,6%) e Rio de Janeiro (5,4%). Também apresentaram alta Minas Gerais (2%), Espírito Santo (1,3%), Paraná (0,6%) e Rio Grande do Sul (0,4%).