Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Promotores adicionam suborno à lista de acusações contra fundador da FTX

    Bankman-Fried, que pagou fiança de US$ 250 milhões, já se declarou inocente de oito acusações criminais e ainda não foi indiciado em outras cinco

    Os promotores federais apresentaram uma 13ª acusação criminal contra Sam Bankman-Fried, acusando o cofundador da FTX de suborno, além de várias acusações de fraude e conspiração.

    A nova acusação foi revelada pelo Tribunal Distrital do Sul de Nova York nesta terça-feira (28).

    Bankman-Fried, que pagou fiança de US$ 250 milhões, já se declarou inocente de oito acusações criminais e ainda não foi indiciado em outras cinco.

    Uma audiência de fiança foi marcada para quinta-feira (30).

    Os advogados de Bankman-Fried não responderam imediatamente a um pedido de comentário.

    As acusações decorrem do que os promotores caracterizaram como uma das maiores fraudes financeiras da história dos Estados Unidos.

    Eles dizem que Bankman-Fried orquestrou uma fraude maciça, roubando depósitos de sua bolsa de criptomoedas FTX, para financiar apostas arriscadas em seu fundo de hedge, canalizar contribuições para políticos americanos e subscrever um estilo de vida luxuoso para ele e seus funcionários nas Bahamas.

    A FTX era uma das maiores e mais badaladas plataformas de negociação de ativos digitais antes de falir em novembro.

    O Bankman-Fried, de 31 anos, já havia reconhecido que estava lidando mal com seus negócios, mas negou ter cometido fraude.

    Três dos ex-sócios de Bankman-Fried – Gary Wang, Caroline Ellison e Nishad Singh – se declararam culpados de várias acusações e estão cooperando com os investigadores.

    Se condenado em todas as acusações, ele pode enfrentar mais de 155 anos de prisão. Um julgamento foi marcado para outubro.

    — Kara Scannell, da CNN, contribuiu com reportagens.

    Este conteúdo foi criado originalmente em inglês.

    versão original