Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Qual o próximo passo do Twitter agora que Elon Musk está fora?

    Ações do Twitter e da Tesla, fabricantes de carros elétricos de Musk, caíram drasticamente; rede social prometeu processar o bilionário

    Ramishah Marufda CNN

    Em Nova York

    Depois de anunciar que queria encerrar o acordo de compra do Twitter, Elon Musk passou o fim de semana na Sun Valley Conference, em Idaho, nos Estados Unidos.

    Ele discursou no palco, essencialmente “off the record”, mas uma fonte que estava na sala da conferência disse ao principal correspondente de mídia da CNN, Brian Stelter, que Musk reforçou ainda mais a sua decisão de tentar desistir do acordo, alegando que é tudo por causa dos bots.

    “Musk disse originalmente que iria consertar o problema do bot”, disse Stelter, no programa Reliable Sources, no domingo (10). “O mesmo problema que ele diz agora que está impedindo-o de fechar o negócio”.

    A repórter do “New York Times” Lauren Hirsch disse que houve uma confluência de eventos interessante desde que as notícias sobre a oferta de Musk foram divulgadas. O mercado de ações “basicamente caiu do precipício”, incluindo ações da Tesla, nas quais Musk presumivelmente estava confiando para financiar grande parte do negócio.

    Isso pode ser parte do motivo pelo qual Musk aparentemente está duvidando de que sua oferta de compra se concretizaria –quase desde o momento em que a fez. “Ele meio que provocava e depois ia embora e nunca sabíamos qual era sua intenção”, disse Hirsch.

    Pelo menos até sexta-feira (8), quando o advogado de Musk enviou uma carta ao Twitter dizendo que ele estava desistindo do acordo porque a plataforma de mídia social está “violando materialmente várias disposições” do acordo original.

    O Twitter está revidando, prometendo levar Musk ao tribunal.

    E alguns questionaram se as preocupações de Musk sobre os bots são apenas uma desculpa para sair do acordo.

    O correspondente nacional do “Washington Post” Philip Bump disse que é difícil dizer quais são seus verdadeiros motivos, mas admitiu que Musk é um “personagem excêntrico”.

    “Estou meio fascinado pelas repercussões de seu anúncio que ficou envolto na política americana muito rapidamente”, disse Bump.

    O Twitter foi percebido por alguns como uma “organização elitista de esquerda” que agora seria assumida e remodelada por um conservador libertário.

    Um potencial beneficiário de uma aquisição de Musk no Twitter, o ex-presidente Donald Trump, que foi notoriamente banido da plataforma após a invasão do Capitólio, em 6 de janeiro, recentemente subiu ao palco em um comício político no Alasca e rotulou Musk de “artista de mer**”, chamando a decisão dele de se retirar do acordo com o Twitter de “podre”.

    Uma das grandes questões agora é o que acontecerá com o Twitter, desde seus funcionários até sua receita de publicidade e o preço de suas ações.

    A saga vem se desenrolando desde abril, e os funcionários ainda não sabem quem será seu chefe, disse a correspondente-chefe de mídia da “Insider” Claire Atkinson.

    “Se você está pensando em anunciar na plataforma, você quer saber ‘Este produto é adequado?'”, disse Atkinson. “E quais são suas regras?”.

    Stelter disse que os bots são sem dúvida um problema para o Twitter, embora ainda não esteja claro o quão prevalentes eles são. Mas Musk pode ser mais afetado por eles do que o usuário comum.

    “Suspeito que o que está acontecendo aqui é que Musk tem uma experiência muito diferente no Twitter do que o usuário comum”, disse Stelter. “Ele está sobrecarregado por respostas ofensivas e spam”.

    Este conteúdo foi criado originalmente em inglês.

    versão original