Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Revisão da meta fiscal virá “no momento certo”, diz Tebet

    A ministra também negou que já exista uma definição sobre a mudança na meta

    Ministra do Planejamento, Simone Tebet
    Ministra do Planejamento, Simone Tebet 31/08/2023REUTERS/Adriano Machado

    Cristiane NobertoGabriel Garciada CNN

    Brasília

    A ministra do Planejamento e Orçamento, Simone Tebet, afirmou nesta terça-feira (14) que a revisão da meta fiscal virá “no momento certo”. Ela também negou que já exista uma definição sobre a mudança na promessa de zerar o déficit fiscal.

    “O relator, [deputado] Danilo [Forte], tem conversado conosco, tem perguntado, vindo atrás de informação, de números técnicos para embasar seu relatório. Nós estamos muito tranquilos com relação a comunicação e no momento certo ele (relator) vai ponderar se vai ou não mexer na meta, e quando isso se dará”, afirmou.

    Tebet falou com jornalistas na porta do Ministério da Fazenda, onde teve uma reunião com o líder da pasta, Fernando Haddad, e a ministra da Gestão, Esther Dweck

    A ministra foi questionada sobre as emendas apresentadas na segunda-feira (13) pelo deputado federal Lindbergh Farias (PT-RJ) ao projeto de Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) para 2024 com o objetivo de alterar a meta de déficit zero das contas públicas.

    Uma das emendas apresentada por Lindbergh Farias estabelece déficit de 0,75%. A outra, em 1%.

    Tebet minimizou a situação e disse que os parlamentares “têm direito” de apresentar quantas emendas quiserem.

    “Eu não posso falar em nome da equipe econômica, até porque a gente não discutiu ainda essa possibilidade de mudança de meta ou não. Nós temos esse prazo até sexta-feira, talvez até segunda, há possibilidade de ser estendido a apresentação de emendas até segunda-feira”, disse.

    “Não sei se seremos convocados para discutir a questão de meta até lá. Então, cada parlamentar tem o direito, não só de colocar uma meta de menos um, de menos setenta e cinco, como até falar assim, não, nós queremos superávit de zero vinte e cinco”.

    Tebet comentou que o encontro ministerial foi uma extensão da reunião com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva ocorrida na manhã desta terça. Nela, além de Haddad e Dweck, estavam presentes os ministros Rui Costa (Casa Civil), Alexandre Padilha (Relações Institucionais) e Jorge Messias (Advocacia-Geral da União).

    “O presidente convocou toda a equipe econômica para saber como está a execução do Orçamento de 2023 e como será essa reta final dos últimos 45 dias”, explicou a ministra.

    “Nós apresentamos algumas coisas, falamos um pouco sobre o empenho que a gente acha que vai ser executado ou não vai ser executado até este final de ano”.

    Outro destaque da reunião foi o andamento se cinco medidas que estão no Congresso Nacional caras a pauta econômica para aumentar a arrecadação e “fechar o ano com chave de ouro”.

    A lista inclui a reforma tributária, taxação de offshores, regulamentação de apostas esportivas, entre outros pontos.

     

    Veja também: Brasil bate recorde de consumo de energia elétrica