Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Setor de vestuário deve faturar R$ 153 bilhões em 2022, prevê associação

    Caso resultado se concretize, segmento terá alta de 2,7% em comparação ao ano passado

    Roupas em arara
    Roupas em arara Foto: Artificial Photography / Unsplash

    Lucas Janoneda CNN

    no Rio de Janeiro

    O setor de vestuário brasileiro deve faturar mais de R$ 153 bilhões até o fim deste ano. A projeção é da Associação Brasileira da Indústria Têxtil e de Confecção (Abit). Caso o resultado se concretize, o segmento registrará uma alta de 2,7% em comparação com 2021.

    De acordo com o levantamento obtido pela CNN, os estados brasileiros que mais contribuem para este cenário positivo do setor são São Paulo (27%), Santa Catarina (17%), Minas Gerais (13%), Paraná (8%) e Rio de Janeiro (8%).

    Atualmente, o Brasil possui cerca de 18 mil empresas do setor de vestuário em funcionamento, com a geração de 957 mil empregos diretos, segundo os dados oficiais da Abit. Em 2022, o segmento deverá produzir 5,3 bilhões de peças de roupa.

    “O ano de 2021 já foi muito bom, mas o ano atual nos surpreendeu positivamente com uma maior procura, principalmente nas regiões Sul e Sudeste. Para atender o aumento na demanda, foi preciso até aumentar a produção”, comenta Tálita Forlin, representante do setor.

    No entanto, os bons resultados deste ano ainda não foram suficientes para a recuperação total do segmento em comparação com períodos anteriores à pandemia de Covid-19. De acordo com a Abit, o setor de vestuário registrou um faturamento de R$ 186 milhões em 2019.