Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Uma das mulheres mais ricas da China assume incorporadora em meio à crise no setor

    Yang Huiyan sucedeu seu pai, Yang Guoqiang, como presidente da Country Garden

    Ala do escritório de vendas Country Garden no Kln Center Garden
    Ala do escritório de vendas Country Garden no Kln Center Garden Iheywoo KOvhdwit/Wikimedia Commons

    Laura Heda CNN

    Hong Kong

    Uma das mulheres mais ricas da China assumiu totalmente o controle da Country Garden, uma importante incorporadora imobiliária, depois que seu pai renunciou, o que se somou a uma série de empreendedores proeminentes que se retiraram de seus cargos durante uma crise histórica no mercado imobiliário.

    Yang Huiyan sucedeu seu pai, Yang Guoqiang, como presidente da empresa que ele fundou, de acordo com um comunicado enviado na quarta-feira à bolsa de valores de Hong Kong, segundo o qual a nomeação entrou em vigor no mesmo dia.

    Yang, 68, também conhecido como Yeung Kwok Keung em cantonês, apresentou sua renúncia ao cargo de presidente “devido à idade”, disse o comunicado.

    O velho Yang era agricultor e trabalhador da construção civil antes de fundar a Country Garden em 1992. Em pouco mais de uma década, ele transformou a empresa em uma das maiores incorporadoras imobiliárias do país.

    A empresa ostentou um IPO recorde de US$ 1,7 bilhão em Hong Kong em 2007. No ano passado, a Country Garden foi a incorporadora nº 1 da China em vendas, que atingiram US$ 67 bilhões.

    A jovem Yang atua como copresidente da empresa desde 2018 e administra as operações do dia a dia em conjunto com seu pai.

    Yang, 41, tinha um patrimônio líquido de US$ 9,2 bilhões nesta quinta-feira, segundo o Bloomberg Billionaires Index. Isso a colocou como a segunda mulher mais rica da China, atrás apenas de Wu Yajun, 59, fundadora da Longfor Properties, que tem uma fortuna de US$ 9,7 bilhões.

    A riqueza de Yang Huiyan vem principalmente de sua participação majoritária na Country Garden, que foi em grande parte transferida para ela por seu pai em 2005, dois anos antes do IPO da empresa.

    O pai de Yang renunciou em um momento em que o mercado imobiliário da China está atolado em uma recessão histórica.

    O setor imobiliário tem passado de uma crise para outra desde 2020, quando Pequim começou a reprimir os empréstimos excessivos de incorporadoras para controlar sua alta dívida.

    Uma crise de dívida atingiu o setor depois que a Evergrande, a segunda maior incorporadora imobiliária da China, sofreu uma grave crise de caixa e deixou de pagar sua dívida no final de 2021.

    Desde então, vários desenvolvedores sem dinheiro buscaram proteção dos credores.

    O preço das ações da Country Garden perdeu mais da metade de seu valor no ano passado.

    As vendas de casas caíram junto da confiança do comprador. O sentimento esfriou ainda mais no ano passado, depois que milhares de compradores de casas se recusaram a continuar pagando hipotecas de propriedades inacabadas.

    A crise no mercado imobiliário foi um golpe nas finanças dos governos locais, que dependem fortemente da receita da venda de terrenos.

    As autoridades mudaram a política para resgatar o setor, incluindo a flexibilização das restrições de empréstimos para desenvolvedores e a concessão de empréstimos. Mas a recuperação parece ser lenta.

    A renúncia de Yang Guoqiang é a mais recente de uma série de saídas de proeminentes empresários imobiliários.

    Em novembro, Zhang Lei, fundador e presidente da Modern Land, renunciou a seus cargos na empresa. A Modern Land é uma grande incorporadora com sede em Pequim, que constrói casas com economia de energia em todo o país.

    Em outubro, Wu Yajun, fundadora e presidente da Longfor Properties, deixou o cargo por motivos de saúde e idade, disse a empresa.

    Em setembro, Pan Shiyi e sua esposa Zhang Xin deixaram seus cargos de presidente e CEO da Soho China, uma incorporadora com sede em Pequim.

    Este conteúdo foi criado originalmente em inglês.

    versão original