Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Vigilantes do Peso lança assinatura com Ozempic nos EUA

    Famosa empresa de emagrecimento cria plano para oferecer remédio de diabetes e reduzir de peso; ações sobem

    O semaglutide, presente no Ozempic, foi aprovado pela Food and Drug Administration dos EUA para tratar a diabete tipo 2
    O semaglutide, presente no Ozempic, foi aprovado pela Food and Drug Administration dos EUA para tratar a diabete tipo 2 em Utah, EUA29/3/2023 REUTERS/George Frey/Arquivo

    Nathaniel Meyersohnda CNN

    New York

    A WeightWatchers, conhecida no Brasil como Vigilantes do Peso, está aumentando sua mudança de uma marca de cultura de dieta para uma empresa que atende a pessoas que tomam Ozempic.

    Após anúncio, as ações da empresa subiram 6,38% na Bolsa de Nova York e fecharam em US$ 7,84.

    Nesta quinta-feira (14), a empresa lançou um novo plano de associação para membros que tomam medicamentos de prescrição para perda de peso GLP-1, como Ozempic e Wegovy.

    O “Programa GLP-1 da WeightWatchers” dará aos membros que tomam os remédios acesso a médicos que podem prescrever esses medicamentos, bem como planos de nutrição diária, coordenação de seguros e outros programas para perda de peso.

    Esses benefícios, anunciados em seu site, estão inclusos na assinatura mensal de US$ 23 (R$ 112). Já o acesso a médicos que podem prescrever medicamentos para perda de peso é um adicional, com taxa mensal de US$ 99 (R$ 485) — sem contar o preço do medicamento.

    O semaglutide, presente no Ozempic, foi aprovado pela autoridade sanitária dos EUA (FDA, na sigla em inglês) para tratar a diabete tipo 2.

    Mas, também foi usado off-label — fora das indicações da bula — para perda de peso.

    A versão que trata da perda de peso, o Wegovy, foi aprovado em 2021. Ele funciona imitando um hormônio que faz com que os usuários se sintam saciados, mas seu uso traz possíveis efeitos colaterais, como desconforto gastrointestinal.

    Os riscos de longo prazo também continuam sendo estudados. Esses medicamentos não são soluções independentes e exigem uma abordagem abrangente de dieta e exercícios para o controle de peso contínuo.

    Os remédios para emagrecer revolucionaram o negócio de perda de peso, forçando empresas como a Vigilantes do Peso nos EUA a se adaptar. O lançamento do novo programa é a última etapa da crescente adoção dos medicamentos semaglutide pela empresa.

    Já em março, a WeightWatchers tinha feito um acordo de mais de US$ 100 milhões (R$ 490 milhões) para comprar a Sequence, uma empresa de tele-saúde que oferece prescrições virtuais aos pacientes para esses medicamentos que promovem perda de peso, quando apropriado.

    Os analistas do Goldman Sachs afirmam que a compra da Sequence e a adoção da semaglutida estão impedindo que a empresa de perda de peso entre em colapso — como a Jenny Craig, que fechou as portas no início deste ano.

    Eles projetam que 15 milhões de adultos nos EUA estarão tomando esses medicamentos até 2031, ou seja, cerca de 13% de todos os adultos do país — sem contar os pacientes diabéticos.

    Essas mudanças poderiam gerar US$ 455 milhões (R$ 2,2 bilhões) em novas receitas para o WeightWatchers até 2025, dizem os analistas.

    Oprah Winfrey, membro do conselho e acionista da WeightWatchers, disse em uma entrevista publicada na quarta-feira (13) que está tomando medicamentos para perda de peso como uma “ferramenta de manutenção”.

    Veja também: Alimentos puxam alta da inflação em novembro

    Nicole Goodkind da CNN contribuiu com a matéria

    Este conteúdo foi criado originalmente em inglês.

    versão original