Parlamentar ucraniano diz ter fragmento da Bíblia de Gutenberg em sua coleção

Primeiro livro impresso significativo do mundo, a Bíblia de Gutenberg foi produzida por uma prensa de tipos móveis inventada por Johannes Gutenberg, na Alemanha

Natalia Zinets, da Reuters
17 de junho de 2020 às 16:52 | Atualizado 17 de junho de 2020 às 17:08
Parlamentar ucraniano Viktor Medvedchuk mostra fragmento da Bíblia de Gutenberg
Parlamentar ucraniano Viktor Medvedchuk mostra fragmento da Bíblia de Gutenberg
Foto: Gleb Garanich/Reuters

Um rico político ucraniano tornou público um manuscrito em sua coleção particular que, segundo ele, é um fragmento da Bíblia de Gutenberg, o primeiro livro impresso significativo do mundo, embora pesquisadores tenham dito que precisaria ser autenticado.

A Bíblia de Gutenberg foi produzida usando uma prensa de tipos móveis inventada por Johannes Gutenberg na Alemanha no século 15. Apenas algumas dezenas de volumes ainda existem e os pesquisadores têm dificuldades para coletar informações sobre fragmentos espalhados.

Leia também:

Carta de Van Gogh e Gauguin sobre visitas a bordéis é vendida por R$ 1,2 milhão

Viktor Medvedchuk, um parlamentar vinculado à Rússia, listou o manuscrito em uma declaração de bens tornada obrigatória para autoridades eleitas em uma reforma anticorrupção em 2016.

Na sexta-feira (12) passada, ele colocou a folha única, em duas colunas em preto e com rubricas vermelhas, em exibição para a Reuters em Kiev. Ele disse que a comprou por recomendação de consultores por volta de 2011-2012, mas se recusou a dizer o preço.

"Comprei imediatamente e, sinceramente, nem pechinchei pelo preço", disse Medvedchuk, cuja coleção de livros antigos contém cerca de 8 mil volumes, incluindo as primeiras edições dos poetas Alexander Pushkin e Taras Shevchenko.

Em um leilão em dezembro de 2016 na Sotheby's em Nova York, uma única folha de uma Bíblia de Gutenberg foi vendida por US$ 47.500.