Gal Costa comemora 75 anos com live especial neste sábado (26)

Considerada uma das maiores vozes femininas da Música Popular Brasileira, cantora baiana fará apresentação especial a partir das 22h

Giovanna Bronze, da CNN, em São Paulo
26 de setembro de 2020 às 09:43
Gal Costa em show na Concha Acústica do Teatro Castro Alves, em Salvador; ela comemorará 75 anos com live no YouTube
Foto: Karina Zambrana - 13.mai.2017/ Divulgação

Neste sábado (26), Gal Costa completa 75 anos. Considerada uma das maiores cantoras da música brasileira, a diva da MPB fará uma live especial para comemorar o aniversário. O evento, às 22h, será exibido no YouTube.

Gal Costa é a terceira dos Doces Bárbaros a fazer uma live. O primeiro foi Gilberto Gil, seguido por Caetano Veloso.

Espera-se que Gal cante alguns de seus grandes sucessos, como Baby, Quando Você Olha para Ela, Divino Maravilhoso, Que Pena (Ela Já Não Gosta Mais de Mim), além de faixas do disco A Pele do Futuro (2018).

Uma das maiores vozes da MPB

Integrante do movimento Tropicália e uma das vozes mais conhecidas da música brasileira, Gal Costa é considerada uma das principais vozes da MPB, juntamente com Maria Bethânia.

Sua carreira começou e se consagrou na década de 60 e 70, fazendo grandes sucessos da época ao lado dos amigos Bethânia, Gil e Caetano.

Gal fez uma de suas primeiras participações em um disco em Domingo, de Caetano Veloso – que na época, grafava seu nome como Velloso. Entre as canções deste está Coração Vagabundo.

Apesar de ter começado a carreira antes durante a década de 60, seu primeiro disco foi lançado apenas em 1969. Com o nome Gal Costa, o álbum trouxe a música Divino Maravilhoso em pleno ano em que o Ato Institucional nº 5 estava em vigor, na Ditadura Militar, após ter sido instaurado em 1968.

Assista e leia também:

CNN Entrevista Especial: Gilberto Gil fala sobre lives, isolamento e família

Com atraso, governo inicia ajuda a artistas na pandemia

Emmy 2020: veja a lista de vencedores

Entre as faixas, também estão as parcerias com Gil, em Sebastiana e Namorinho de Portão, e com Caetano, em Baby e em Que Pena (Ela Já Não Gosta Mais de Mim).

Em 1976, em comemoração aos 10 anos da carreira dela e dos amigos músicos, Gal saiu em turnê pelo Brasil ao lado de Caetano, Gil e Bethânia. Juntos, os quatros se intitulavam Doces Bárbaros, e tocavam faixas como Um Índio, Pássaro Proibido e O Seu Amor.

A turnê virou um documentário, que foi censurado pela Ditadura Militar. Em 2004, ao ser exibido sem censuras, foi um dos destaques no Festival É Tudo Verdade.

Ao longo de seus 75 anos, Gal gravou diversos discos, tanto em produções de estúdio, como no álbum Gal Canta Caymmi (1975) e Gal Costa Canta Tom Jobim (1999), quanto em performances ao vivo, como com Gil no Live in London '71 (1971), que teve dois volumes.

Em 2002, foi a grande homenageada pelo Prêmio da Música Brasileira, que escolhe algumas das maiores vozes do país para enaltecer durante a premiação.

O último álbum gravado pela artista foi A Pele do Futuro (2018), que revisita o gênero disco e traz uma longa e esperada parceria com Maria Bethânia, em Minha Mãe. A outra parceria do disco é com a cantora sertaneja Marília Mendonça, na faixa Cuidando de Longe.