Lia Bock: Cultura do cancelamento é muito perigosa e detona a vida da pessoa

Ela explica como surgiu esse conceito e a maneira como ele passou a ser usado indiscriminadamente

Lia Bock, da CNN, em São Paulo
21 de outubro de 2020 às 12:42 | Atualizado 23 de outubro de 2020 às 12:06


No Manual do Mundo Moderno desta quarta-feira (21), na CNN Rádio, Lia Bock comentou sobre a cultura do cancelamento, uma espécie de linchamento virtual. A prática é muito comum nas redes sociais atualmente.

Assista e leia também:
Lia Bock: o silêncio responsável do papa sobre as igrejas incendiadas no Chile
Lia Bock: É importante falar sobre sexo para não jogar o assunto no submundo
Lia Bock: Fato de mulher estar inconsciente ou bêbada é agravante de estupro

Lia Bock comanda o Manual do Mundo Moderno na Rádio CNN
Foto: CNN Brasil

Ela explicou como surgiu esse conceito e a maneira como ele passou a ser usado indiscriminadamente. Como exemplo, Bock falou sobre um caso envolvendo o ator norte-americano Chris Pratt, que foi muito criticado recentemente na internet por causa de supostas opiniões políticas e informações não confirmadas relacionadas a ele.

"A cultura do cancelamento é muito perigosa", afirmou Bock. "Não é um movimento organizado, você vai servindo de instrumento dessa cultura meio sem perceber."

Para ela, "a cultura do cancelamento detona a pessoa". "Essas pessoas perdem o emprego, perdem os amigos, perdem tudo. Já teve caso de gente que teve que mudar de cidade, de nome porque foi perseguida."

(Edição: André Rigue)