Demi Lovato diz que overdose de 2018 causou três derrames e ataque cardíaco

A pop star Demi Lovato divulga detalhes da overdose amplamente divulgada que quase a matou em 2018

Por Jill Serjeant, da Reuters
18 de fevereiro de 2021 às 01:29
Demi Lovato
Demi Lovato
Foto: Instagram/ Reprodução

 

A pop star Demi Lovato afirmou que teve três derrames e um ataque cardíaco quando foi hospitalizada por overdose de drogas em 2018, e também sofreu alguns danos cerebrais.

Ao promover um novo documentário nesta quarta-feira, Lovato, de 28 anos, disse que o filme dará todos os detalhes da overdose amplamente divulgada que quase a matou.

"Tive três derrames. Tive um ataque cardíaco. Meus médicos disseram que eu tinha mais cinco a dez minutos", declarou ela, em um trecho do documentário "Dancing with the Devil", que será lançado no YouTube em 23 de março.

 

Embora a cantora de "Sorry Not Sorry" tenha falado abertamente sobre seu vício em drogas e álcool no passado, ela disse nesta quarta-feira que há muita coisa que o público não sabe sobre sua overdose e as pressões que levaram a isso.

Em 2018, a ex-estrela infantil do Disney Channel foi encontrada inconsciente em sua casa em Hollywood Hills por causa de uma overdose, supostamente de opióides misturados com fentanil. Apenas algumas semanas antes, ela tinha lançado uma música chamada "Sober", na qual cantava sobre uma recaída após seis anos de sobriedade.

"Nos últimos dois anos, ouvi muitas histórias sobre minha vida e o que as pessoas pensam que aconteceu. Eu queria esclarecer as coisas e revelar tudo para meus fãs", disse Lovato a repórteres nesta quarta-feira em uma entrevista online.

"Fiquei com danos cerebrais e ainda sinto os efeitos disso", afirmou ela, dizendo que não dirige por causa da visão embaçada.

Lovato disse no passado que sofria 7de transtornos alimentares e que começou a usar cocaína quando tinha 17 anos. Ela entrou na reabilitação aos 18 anos e foi diagnosticada com transtorno bipolar.