Harvey Weinstein se declara inocente de acusações de crimes sexuais

Weinstein foi um dos produtores de cinema e TV mais poderosos de Hollywood antes das acusações virem à tona

Lisa Richwine e Jill Serjeant, da Reuters
21 de julho de 2021 às 15:58
O produtor Harvey Weinstein
O produtor Harvey Weinstein
Foto: Spencer Platt/Getty Images

O ex-produtor de Hollywood Harvey Weinstein se declarou inocente nesta quarta-feira (21) em Los Angeles diante das acusações de estupro e agressão sexual, disseram os promotores.

Weinstein, 69, chegou ao Tribunal Superior de Los Angeles para sua primeira aparição em uma cadeira de rodas depois de ser extraditado de Nova York na terça-feira, onde cumpria 23 anos de prisão por estupro e outros crimes sexuais.

Em Los Angeles, ele enfrenta 11 acusações de agredir cinco mulheres entre 2004 e 2013. Elas incluem estupro forçado, cópula oral forçada, agressão sexual por contenção e penetração sexual por meio do uso da força. Se condenado, Weinstein poderia passar o resto de sua vida na prisão.

Depois de entrar em sua confissão de culpa por meio de seu advogado na quarta-feira, Weinstein foi condenado a permanecer na prisão até a próxima audiência em 29 de julho, disse o gabinete do promotor público de Los Angeles em um comunicado.

Weinstein negou ter feito sexo não consensual com qualquer pessoa e está apelando de sua condenação e sentença de Nova York.

Ele vinha lutando contra a extradição por motivos médicos, citando diabetes e problemas cardíacos, nas costas e na visão.

Weinstein foi um dos produtores de cinema e TV mais poderosos de Hollywood antes que as acusações de má conduta sexual de mais de 80 mulheres em 2017 levassem a processos criminais e alimentassem o movimento #MeToo mais amplo.

Ele co-fundou o estúdio cinematográfico Miramax, cujos filmes de sucesso incluem "Shakespeare Apaixonado" e "Pulp Fiction". Seu estúdio de cinema pediu concordata em março de 2018.