30 anos sem Freddie Mercury: teste seus conhecimentos sobre o artista

Um dos maiores ídolos da música mundial morreu no dia 24 de novembro de 1991, em consequência da Aids. Relembre a trajetória do cantor com o nosso quiz

Estátua de Freddie Mercury, na Suíça
Estátua de Freddie Mercury, na Suíça Pixabay/Divulgação

Debora Sandercolaboração para a CNN

Ouvir notícia

Há três décadas, o mundo perdia um dos artistas mais completos da música de todos os tempos. No dia 24 de novembro de 1991, aos 45 anos, Freddie Mercury morreu em decorrência da Aids, doença causada pelo vírus HIV. Ele vivia com a doença há pelo menos quatro anos e, apesar das fortes suspeitas da imprensa e dos fãs sobre seu estado de saúde, Freddie só assumiu publicamente que tinha AIDS na véspera de sua morte. O cantor, pianista e compositor deixou ao mundo um legado de 186 canções, desdobradas em mais de duas mil gravações.

Para marcar a data, a BBC lançará neste sábado (27) um especial de 90 minutos que registra os últimos anos de vida do artista, desde o último show que ele fez com o Queen, em 1986, até o tributo que seus parceiros de banda organizaram em 1992, seis meses após sua morte.

“Freddie Mercury: The Final Act” conta com entrevistas inéditas dos integrantes do Queen, Brian May e Roger Taylor, com a irmã de Freddie Mercury, Kashmira Bulsara, além de amigos do músico e de artistas que se apresentaram no show de 1992. O documentário também aborda a epidemia de HIV e AIDS, em depoimentos de médicos, sobreviventes e ativistas.

 

Na última semana, o amigo e ex-colega de banda de Freddie, Brian May, falou no programa “Good Morning Britain” sobre os anos finais do cantor e a convivência dele e da banda com a doença. “Foi um momento difícil, mas que de algum modo nos uniu como uma família. Nós procuramos construir uma espécie de fortaleza em torno de Freddie para tentar tornar sua vida o mais fácil possível, e tentamos manter os curiosos longe. Havia muitas pessoas enfiando câmeras nas janelas dele. Foi uma época horrível para ele”, relatou.

Nesse período, a banda costumava viajar frequentemente para Montreux para gravar canções em um estúdio na cidade suíça – foram seis álbuns gravados por lá. Freddie chegou a morar em Montreux por algum tempo para escapar dos holofotes e aproveitar seus dias gravando sempre que possível.

Brian lembrou com carinho dos dias passados na Suíça, quando eles podiam aliviar as tensões fazendo o que mais gostavam. “Lá, nós podíamos fazer música – e fazer música era a vida de Freddie. Uma vez que estava naquele ambiente, ele podia se isolar. Estranhamente, foi uma das épocas mais alegres que já tivemos. Freddie parecia conseguir deixar tudo de lado e simplesmente curtir fazer sua música”, contou o músico no programa britânico.

Em agosto, foi divulgado um vídeo raro que mostra Freddie Mercury se preparando para subir no palco do último show que ele fez com o Queen, em 1986. Assista abaixo:

E você, o quanto sabe da trajetória de um dos maiores artistas do século 20? Teste seus conhecimentos com o nosso quiz!

Mais Recentes da CNN