Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    #CNNPop

    74% das pessoas são contra uso de IA para recriar vozes na música, diz pesquisa

    Pesquisa mapeou opinião dos fãs da música sobre o uso da ferramenta para criar novas canções com vozes de artistas sem autorização

    Cantora Elis Regina foi recriada por inteligência artificial em comercial em que aparece cantando com a filha Maria Rita
    Cantora Elis Regina foi recriada por inteligência artificial em comercial em que aparece cantando com a filha Maria Rita Reprodução/Publicidade/Volkswagen

    Giovanna Bronzeda CNN

    São Paulo

    Entre os fãs de música, a maioria é contra o uso de inteligência artificial para recriar vozes de artistas. A informação é do relatório “Engaging with Music”, da Federação Internacional da Indústria Fonográfica (da sigla IFPI, em inglês).

    Segundo o estudo, publicado na última segunda-feira (11), 74% dos entrevistados informaram que a inteligência artificial não deve ser utilizada para “clonar” ou reproduzir a voz de artistas sem autorização. Já 76% acreditam que uma música ou voz de um artista não devam ser incluídas em ferramentas de IA sem a permissão dos mesmos.

    Cerca de 73% acreditam que as músicas que utilizaram IA deveriam expor isso de forma transparente.

    Essa é a primeira vez que a pesquisa incluiu IA entre as perguntas.

    Entre os entrevistados, 89% informaram que estão cientes da inteligência artificial, sendo que alguns informaram utilizar ferramentas de IA ou demonstraram interesse em utilizá-la. Os fãs de música também falaram sobre as necessidades de regulação da tecnologia de IA. De acordo com as pessoas que responderam a pesquisa, 70% concordam que a tecnologia deveria ter restrições e 64% que os governos deveriam ter um papel em definir as restrições do que a IA deveria ser autorizada a fazer.

    Cerca de 8 a cada 10 pessoas (79% dos entrevistados) consideram que a criatividade humana continua essencial para a criação de música.

    O estudo da IFPI foi feito em 26 países – como o Brasil – com amis de 43 mil pessoas. Foram ouvidas pessoas com idade entre 16 e 44 anos. A margem de erro é entre 1,55 e 2,95 pontos percentuais para menos ou para mais. A pesquisa foi realizada entre agosto e outubro de 2023.