Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    #CNNPop

    Advogados de Taylor Swift ameaçam legalmente jovem que rastreia voos da cantora

    Intimação diz que medidas legais cabíveis serão tomadas caso estudante não pare de divulgar informações de jatinho particular

    Taylor Swift em performance de "The Man", na "The Eras Tour"
    Taylor Swift em performance de "The Man", na "The Eras Tour" Allen J. Schaben / Los Angeles Times via Getty Images

    Catherine Thorbeckeda CNN

    Os advogados de Taylor Swift estão ameaçando tomar medidas legais contra um aluno da faculdade da Flórida que monitora as viagens de jatinho particular de celebridades e figuras públicas. Que é o caso de Swift.

    Taylor Swift é, inclusive, a celebridade que mais polui o meio ambiente ao utilizar o jato particular. São mais de 1.84,8 vezes as emissões de CO2 que uma pessoa emite em média.

    O estudante Jack Sweeney confirmou à CNNN nesta terça-feira (06) que recebeu uma ação judicial que pede que ele pare de monitorar os trajetos. Os advogados procuraram ele através da rede social que o aluno possui e divulga os voos de Taylor Swift. A informação foi primeiramente divulgada pelo jornal The Washington Post.

    Sweeney é a mesma pessoa que irritou o bilionário Elon Musk ao acompanhar os trajetos do jatinho de Musk online. O bilionário, que é do do X (antigo Twitter), derrubou o perfil Sweeney (@ElonJet) em dezembro de 2022. Musk ainda disse que o perfil representava “um risco de segurança” para ele e sua família.

    O estudante também possui contas para divulgar os trajetos e gastos dos jatinhos particulares de celebridades como Mark Zuckerberg, Bill Gates e outras celebridades.

    Sweeney utiliza as contas usando dados públicos de voos da Administração Federal de Aviação e muitas vezes inclui as informações sobre as emissões de carbono de cada viagem em seus posts.

    A intimação feita pelos advogados de Taylor Swift acusam Sweeney de ter comportamento “de stalker e assediador, incluindo a publicação constante em tempo real e informação precisa da localização e paradeiro futuro de nossa cliente para o público em redes sociais”.

    O documento ainda alega que isso representa uma “ameaça iminente à segurança e ao bem-estar de Swift”, além de acusar Sweeney de desconsiderar a segurança pública de terceiros “em troca de atenção pública e/ou pedidos de ganhos financeiros”. A carta ainda faz referência a reportagens da CNN sobre Musk ter oferecido US$ 5 mil para excluir a conta do Twitter que rastreava seu jato. (Sweeney recusou a oferta na época e pediu US$ 50 mil, alegando que poderia usar o dinheiro para pagar a faculdade ou comprar um Tesla).

    Conta de Sweeney no X, antigo Twitter, com rastreios de voos da cantora Taylor Swift / Reprodução/X

    Os advogados ainda algema que é uma questão de “vida ou morte” para Swift, que já lidou com stalkers e outros que querem machucar a cantora.

    Se Sweeney continuar a publicar essas informações, “Taylor não terá outra opção a não ser buscar todos e quaisquer recursos legais disponíveis para ela”.

    O estudante disse à CNN por e-mail que recebeu a carta dos advogados após as manchetes de jornais divulgarem e investigarem a pegada de carbono da cantora. Ele também disse que nunca quis machucar ninguém com suas ações, apenas compilando informações públicas.

    “Eu, na verdade, acho que Swift tem algumas músicas boas”, complementou Sweeney. Entretanto, ele “acredita em transparência e informações públicas”. Sweeney também disse que tem um grande interesse de fãs da Taylor Swift nas contas que atualizam essas informações, dizendo que ela deveria ter “uma expectativa decente” de que seu jato será rastreado “caso [eu, Sweeney] faça ou não isso”.

    Um representante da Taylor Swift não respondeu ao pedido de informação feito pela CNN nesta terça-feira (06).

    Quando questionados se havia alguma evidência de que perseguidores de Swift usaram as contas de rastreamento de jato administradas por Sweeney, um representante disse ao Washington Post: “Não podemos comentar sobre nenhuma investigação policial em andamento, mas podemos confirmar que o momento em que os perseguidores sugerem uma conexão. Suas postagem dizem exatamente quando e onde ela estaria”.

    Este conteúdo foi criado originalmente em Internacional.

    versão original