Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    #CNNPop

    Ana Furtado erra pronome de Kim Petras durante cobertura do Grammy Awards

    Apresentadora "ignorou" discurso de Kim Petras, errou pronome da artista e se corrigiu em seguida

    Redes Sociais / Grammy Awards

    Sofia Sampaioda CNN

    Ana Furtado fez sua estreia fora da Rede Globo neste domingo (5), durante a cobertura do Grammy Awards pelo canal TNT. Ela comandou a transmissão no Brasil ao lado do jornalista Phelipe Cruz e do músico Charles Gavin.

    Entre os vários destaques da noite, Sam Smith Kim Petras subiram no palco da premiação para receber o prêmio de Melhor Performance de Duo/Grupo Pop pelo hit “Unholy”. Em seu discurso, Petras, cantora alemã transexual, agradeceu o reconhecimento e dedicou o gramofone à comunidade trans.

    “Sam Smith gentilmente quis que eu aceitasse esse prêmio porque sou a primeira mulher transgênero a vencer. E só quero agradecer a todas as incríveis lendas transgênero antes de mim que chutaram essas portas para que eu pudesse estar aqui essa noite”, disse.

    Essa é a primeira vez que uma pessoa trans vence um Grammy Awards. Em 2022, a brasileira Liniker foi a primeira vencedora do Grammy Latino na categoria de Melhor Álbum de Música Popular Brasileira, por “Indigo Borboleta Anil”.

     

     

    De volta aos estúdios da TNT, Ana Furtado acabou “ignorando” o discurso da alemã e preferiu focar na performance de Stevie Wonder, que havia se apresentado pouco antes dos vitoriosos por “Unholy” serem anunciados.

    “Incrível, realmente tudo muito emocionante, mas vamos voltar para o Stevie Wonder? É uma entidade. Que showzaço que ele apresentou”, disse a Ana antes de passar a palavra para Charles Gavin, músico e comentarista da premiação, que voltou então à vitória de Sam Smith e Kim Petras.

    Com a deixa, Ana Furtado elogiou o discurso de agradecimento da cantora utilizando o pronome masculino: “Muito emocionante o discurso dele, né?” – e se corrigiu: “Dela”.

    Grammy histórico

    Kim Petras não apenas se tornou a primeira pessoa trans a ganhar um Grammy Awards como também se apresentou na premiação com Sam Smith.

    Ao ser lançada, “Unholy”, música que rendeu o prêmio aos artistas, foi considerada uma canção “profana”, tanto pela letra como pelo videoclipe. Seguindo a estética teatral, de desejos proibidos e pecados, a dupla fez sua performance na cerimônia pouco depois da vitória.

    Beyoncé protagonizou outro momento histórico desta 65ª edição ao se tornar a maior vencedora do Grammy Awards de todos os tempos.

    Com a vitória na categoria de Melhor Álbum Eletrônico/Dance por “Renaissance“, a estrela agora possui 32 gramofones – das 88 indicações que já recebeu.

    No entanto, Bey não levou o troféu de Álbum do Ano, uma das principais premiações do evento  (apesar de ser a artista com maior número de vitórias, ela nunca faturou esta categoria).

    Causando polêmicas e controvérsias entre os internautas, Harry Styles foi o grande vencedor com o álbum “Harry’s House”.