Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    “Avatar 2” será um dos poucos filmes estrangeiros a estrear na China neste ano

    Longa de James Cameron lança no país dia 16 de dezembro; no Brasil, chega um dia antes, dia 15

    "Avatar: O Caminho da Água" estreia dia 15 de dezembro no Brasil
    "Avatar: O Caminho da Água" estreia dia 15 de dezembro no Brasil Divulgação

    Da CNN

    A tão esperada sequência do sucesso de bilheteria de James Cameron, “Avatar”, será lançada nos cinemas da China continental em 16 de dezembro, anunciou a 20th Century Studios nesta quarta-feira (23) em sua conta oficial do Weibo.

    “Avatar: Caminhos da Água” é um dos poucos filmes estrangeiros a ter acesso ao mercado chinês nos últimos meses, como outros incluindo o mais recente lançamento da franquia “Minions” e “Um Lugar Bem Longe Daqui”, da Sony Pictures.

    Executivos de Hollywood lutam para saber se a China permitirá que seus filmes cheguem aos cinemas, com ou sem censura. Embora o país normalmente permita o lançamento de 30 a 40 filmes estrangeiros por ano, esse número caiu desde a pandemia.

    Todos os filmes exibidos publicamente na China precisam de uma permissão dos reguladores. A censura é abundante, com as autoridades reprimindo cada vez mais o que consideram inapropriado, incluindo, em alguns casos, a aparência de decote, tatuagens ou pessoas fumando, bem como elementos obviamente politicamente sensíveis.

    O país permitiu 20 lançamentos teatrais de filmes de Hollywood no ano passado, em comparação com 36 em 2018, de acordo com a Artisan Gateway, uma consultoria da indústria cinematográfica e empresa de pesquisa de investimentos.

    Mercado cinematográfico chinês

    A bilheteria da China arrecada bilhões de dólares por ano, rivalizando com os Estados Unidos e o Canadá juntos.

    Em 2020, tornou-se o maior mercado cinematográfico da Terra, pois seus cinemas conseguiram se recuperar do impacto da pandemia de Covid mais rapidamente do que os da América do Norte. A tendência continuou no ano passado.

    Este ano, no entanto, o equilíbrio voltou a pender. Os cinemas dos EUA se recuperaram, enquanto a China continua a manter uma política rígida de “Covid Zero” que mantém muitos de seus cinemas no limbo. Isso coloca a bilheteria da América do Norte ligeiramente à frente até agora em 2022, gerando mais de US$ 3,6 bilhões em comparação com os cerca de US$ 2,7 bilhões da China, segundo dados da Comscore.

    *Com informações da Reuters e Michelle Toh, do CNN Business

    (Publicado por Marina Toledo)