Bill Cosby deixa prisão após Suprema Corte da Pensilvânia anular condenação

Cosby foi condenado em 2018 por agressão sexual

Sonia Moghe, Ray Sanchez e Kristina Sgueglia, da CNN

Ouvir notícia

 

Bill Cosby foi liberado da prisão nesta quarta-feira (30) depois que a Suprema Corte da Pensilvânia anulou sua condenação por agressão sexual, dizendo que seus direitos ao devido processo foram violados. O processo envolvendo Cosby foi o primeiro grande caso da era #MeToo.

O painel de juízes disse em seu parecer que quando o ex-promotor distrital do condado de Montgomery, Bruce Castor, investigou alegações de drogas e estupro contra Cosby em 2005, a decisão do promotor de não processá-lo em troca de seu depoimento em um caso civil acabou sendo usado contra o comediante no julgamento.

“À luz dessas circunstâncias, a decisão subsequente do procurador distrital de processar Cosby violou os direitos do devido processo”, escreveram os juízes. Cosby foi condenado em 2018 de 3 a 10 anos em uma prisão estadual por drogar e agredir sexualmente Andrea Constand em sua casa em 2004.

Bloom disse que acha que pode ser “um dia muito difícil” para todas as mulheres que o acusaram de agressão sexual.”Quero agradecer à Suprema Corte que viu a luz e a verdade”, disse a família de Cosby em um comunicado divulgado por seu representante de imprensa, Andrew Wyatt.Wyatt foi à prisão para pegar Cosby e levá-lo para sua casa na Pensilvânia.

A chocante decisão no caso do comediante antes conhecido como “Pai da América” reverte o que foi o primeiro julgamento criminal de celebridade de alto perfil da era #MeToo. Para as vítimas que buscaram a resolução do caso, a decisão representou “um tapa na cara”, nas palavras de Lisa Bloom, a advogada de três acusadores.

“O Sr. Cosby recebeu originalmente um acordo de Bruce Castor no qual ele recebeu imunidade. Ele desistiu de seus direitos de quinta emenda na esperança de voltar ao trabalho, à vida. E ele sempre apareceu para quaisquer questões legais e perguntas por sua própria iniciativa. Acusações nunca deveriam ter sido feitas contra Cosby “, disse o comunicado.”Quero agradecer aos advogados que argumentaram com sucesso seu apelo e especialmente à Sra. Cosby, que se manteve firme e esteve aqui para apoiar o Sr. Cosby em cada etapa do caminho e apoiou cada ideia e estratégia dos advogados e da equipe, e ela sempre soube disso. Cosby era inocente”, completou a nota.

O Conselho de Liberdade Condicional da Pensilvânia negou a liberdade condicional para o comediante em maio, citando uma série de razões para sua decisão, de acordo com uma carta do conselho obtida pela CNN. A carta dizia que Cosby precisava “participar e concluir programas institucionais adicionais”. O conselho citou a “falha de Cosby em desenvolver um plano de liberação da liberdade condicional” e uma “recomendação negativa do Departamento de Correções” como fatores que contribuíram para a decisão.

(Texto traduzido, leia original em inglês aqui)

Bill Cosby
Foto: Gilbert Carrasquillo/Getty Images

Mais Recentes da CNN