Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    #CNNPop

    Brasileira é aprovada em 10 universidades no exterior: “Sempre foi meu sonho”

    Nicolly Pecim Alves, de 19 anos, mora em Diadema e ganhou cartas de recomendação de designer da Marvel e um profissional que trabalhou na Nasa

    A jovem Nicolly Alves foi aprovada em 10 universidades no exterior
    A jovem Nicolly Alves foi aprovada em 10 universidades no exterior Arquivo pessoal/Nicolly Alves

    Natanael Oliveirada CNN

    “Seja você mesma e siga seu caminho”. Este seria o conselho que a jovem Nicolly Pecim Alves, de 19 anos, daria para si mesma quando apenas sonhava em estudar no exterior.

    O que era apenas um desejo, está cada vez mais perto de se tornar realidade. Isso porque a estudante foi aprovada em dez universidades fora do Brasil – nove nos EUA e uma na Coreia do Sul.

    Entre as diversas opções, Nicolly escolheu estudar na University of the West, na Califórnia, nos Estados Unidos. A opção pela universidade californiana foi motivada pelo curso que pretende fazer: Artes Liberais, matéria voltada para áreas de conhecimento gerais de matemática e física.

    Para sacramentar de vez o sonho de estudar fora do país, Nicolly abriu uma vaquinha online para que seja possível se mudar para os Estados Unidos – a meta é arrecadar US$ 18 mil (cerca de R$ 90 mil), valor que cobriria custos com educação e despesas no país, além do visto e passagem de avião para a Califórnia.

    Em busca de um sonho

    Em entrevista à CNN, Nicolly afirma que sempre sonhou estudar fora do Brasil e perseguiu este objetivo durante todo o ensino médio.

    “Eu sempre fui uma pessoa muito esforçada em todos os âmbitos da minha vida, os estudos nunca ficaram para trás. Eu estudei em uma escola particular, mas não porque sou rica, mas meus pais sempre fizeram de tudo para me dar o melhor estudo”, diz Nicolly.

    Ainda durante o período escolar, a estudante também enfrentou o diagnóstico de ansiedade e depressão.

    “No meu 2º ano do ensino médio, acabei ficando muito doente, ao ponto de não conseguir sair de casa. Tanto que recebi orientação médica para estudar em casa. Durante este período, não sabia o que estava acontecendo”, revela a estudante.

    Eu queria entender o que estava acontecendo na minha cabeça, só que eu não conseguia. Era muito maior do que do que do que eu poderia imaginar.

    Nicolly Alves

     

    Foi durante esse período que a estudante descobriu que estava com depressão e ansiedade generalizada. “Quando veio o diagnóstico, eu comecei a me tratar com um psiquiatra e psicólogos. Eu ainda não estou 100% porque acho que não há como ficar 100% diante disso, eu estou me recuperando”, afirma Nicolly.

    Apesar do momento difícil, a estudante revela que descobriu uma de suas grandes paixões durante este período: a ciência, mais precisamente a área da física.

    “Eu amo a física. Ela me salvou durante vários anos da minha vida, devido a ansiedade. Na verdade, ela me fez perceber que o mundo não é exatamente o que nós vemos”, diz a jovem.

    Aprovações no exterior

    Ao final do ensino médio, Nicolly se candidatou a diversas universidades, principalmente nos Estados Unidos. Ela conta que precisou enviar uma redação sobre a sua vida, o porquê de querer estudar em determinada universidade, atividades extracurriculares durante o colegial e cartas de recomendação.

    Entre as recomendações, duas foram especiais. Nicolly recebeu cartas de Ed Lantz, ex-engenheiro da NASA e do diretor de arte da Marvel, Craig Elliott. A estudante conheceu ambos através do LinkedIn.

    Na carta de recomendação, Ed Lantz conta que se surpreendeu com a estudante desde o primeiro momento. “Um fator que me chamou muito a atenção nela foi o desejo de unir física quântica com tecnologia e o cinema. […] Seu talento, ambição e forma de pensar sobre temas tão desafiadores é incrível.”

    Enquanto Elliot afirma que “Nicolly tem grande inteligência, como evidenciado por seu esforço constante para aprender os mais complexos assuntos e sede de usar esse conhecimento. Seu portfólio é apenas a ponta do iceberg da sua criatividade e perspicácia.”

    Trecho da carta de recomendação do ex-engenheiro da Nasa, Ed Lantz / Arquivo pessoal

    Confira a lista de todas as instituições de ensino superior que a jovem foi aprovada:

    • Otis College of Art and Design (EUA)
    • Whittier College (EUA)
    • Menlo College (EUA)
    • University of the West (EUA)
    • Augustana College (EUA)
    • Virginia Tech (EUA)
    • Loyola MaryMount University (EUA)
    • Incarnate Word University (EUA)
    • John Cabot University (EUA)
    • Suny Korea (COR)

    Futuro nos Estados Unidos

    Os estudos na University of the West começam ainda este ano, na última semana de agosto.

    Nicolly afirma que escolheu a instituição por “apresentar oportunidades de intercâmbio intelectual e cultural entre o oriente e o ocidente da Califórnia em que há alguns dos maiores polos científicos do mundo, como a Nasa.”

    Entrada da University of the West, na Califórna / Divulgação/University of the West

    A jovem pretende estudar Artes Liberais, mas já pensa na especialização, que inclui a física e outra de suas paixões: o cinema.

    “Eu adoraria trabalhar com a física e o cinema juntos. Pode ser uma combinação estranha para pessoas que não conhecem, mas que daria certo porque ambas as categorias te dão infinitas possibilidades. Também posso me tornar uma física ou talvez a minha curiosidade com a física me torne uma cineasta, quem sabe?”, diz Nicolly.

    Trecho da carta de aprovação na University of the West, nos Estados Unidos / Arquivo pessoal

    Nicolly ainda afirma que, após se formar, gostaria de continuar morando nos Estados Unidos. Inclusive, caso opte por se tornar uma física, ela já escolheu onde deseja trabalhar.

    “Eu sempre tive o sonho de ir para lá [nos Estados Unidos] e construir a minha vida. […]. Gostaria muito de trabalhar na Nasa, sempre foi um sonho, desde criança”, revela.