Cannes 2021 começa com público presente e júri com maioria feminina

O cineasta Spike Lee preside o júri, que pela primeira vez é majoritariamente feminino

Gregory Prudenciano*, da CNN, em São Paulo

Ouvir notícia

 

O Festival de Cannes de 2021 começou oficialmente nesta terça-feira (6), retomando as atividades depois que o evento foi cancelado em 2020 por conta da pandemia de Covid-19. O festival, aliás, foi retomado já com o público presente, mas resguardando medidas de segurança. 

Os participantes terão de ser submetidos a testes de Covid-19 a cada 48 horas, e o contato físico está proibido – nada de beijos e abraços, portanto. 

A edição de 2021 tem 24 filmes competindo pela Palma de Ouro, sendo que a obra “Annette”, do francês Leos Carax, desponta como um dos queridinhos da crítica e um dos favoritos ao prêmio. 

O júri de 2021 também chama a atenção: presidido por Spike Lee, o júri deste ano é majoritariamente feminino: são cinco mulheres e quatro homens, um deles é o diretor brasileiro Kléber Mendonça Filho, cujo filme “Bacurau” foi premiado em Cannes na edição de 2019. 

As cinco mulher no júri são a atriz e diretora francesa Mélanie Laurent, a atriz norte-americana Maggie Gyllenhaal, as diretoras Jessica Hausner e Mati Diop e a cantora Mylene Farmer.

O presidente do júri de Cannes, Spike Lee, e as juradas Melanie Laurent, Mati Di
O presidente do júri de Cannes, Spike Lee, e as juradas Melanie Laurent, Mati Diop, Jessica Hausnet e Mylene Farmer
Foto: Mustafa Yalcin/Anadolu Agency via Getty Images

Confira os filmes que concorrem à Palma de Ouro: 

  • “Annete”, de Leos Carax (França)
  • “The Story of My Wife”, de Ildikó Enyedi (Hungria)
  • “Benedetta”, de Paul Verhoeven (Holanda)
  • “Bergman Island”, de Mia Hasen-Love (França)
  • “Drive My Car”, de Ryusuke Hamaguchi (Japão)
  • “Flag Day”, de Sean Penn (Estados Unidos)
  • “Ahed’s knee”, de Nadav Lapid (Israel)
  • “Casablanca Beats”, de Nabil Ayouch (Marrocos)
  • “Compartment Nº 6”, de Juho Kuosmanen (Finlândia)
  • “The Worst Person in the World”, de Joachim Trier (Noruega)
  • “The Divide”, de Catherine Corsini (França)
  • “The Restless”, de Joachim Lafosse (Bélgica)
  • “Paris 13º District”, de Jacques Audiard (França)
  • “Lingui, the Sacred Bonds”, de Mahamat-Saleh Haroun (Chade)
  • “Memoria”, de Apichatpong Weerasethakul (Tailândia)
  • “Nitram”, de Justin Kurzel (Austrália)
  • “France), de Bruno Dumont (França)
  • “Petrov’s Flu”, de Kirill Serebrennikov (Rússia)
  • “Red Rocket”, de Sean Baker (Estados Unidos)
  • “The French Dispatch”, de Wes Anderson (Estados Unidos)
  • “Titane”, de Julia Ducournau (França)
  • “Three Floors”, de Nanni Moretti (Itália)
  • “Tout S’est Bien Passé”, de François Ozon (França)
  • “A Hero”, de Asghar Farhadi (Irã)

*Com informações da Reuters

Tópicos

Mais Recentes da CNN