Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Carnaval: Rio avalia mudanças nos critérios de julgamento das escolas para 2022

    Presidentes das agremiações do Grupo Especial vão avaliar propostas apresentadas durante ciclo de debates

    Desfile da Viradouro, campeã do Carnaval do Rio de Janeiro em 2020
    Desfile da Viradouro, campeã do Carnaval do Rio de Janeiro em 2020 Foto: Agência Brasil (06.jan.2020)

    Stéfano Sallesda CNN No Rio de Janeiro

    Organizadora dos desfiles do Grupo Especial, a Liga Independente das Escolas de Samba do Rio de Janeiro (Liesa) estuda alterações no regulamento da festa. Mudanças que já entrariam em vigor no Carnaval de 2022 e alterariam os critérios para a definição do título, de posse da Viradouro, de Niterói, desde a última edição, ocorrida em 2020.

    A entidade realizou um ciclo de reuniões com diferentes segmentos e apresentará um conjunto de propostas ao plenário, formado pelos presidentes das agremiações. Entre as propostas, está o retorno do quesito conjunto. Caso isto aconteça, os desfiles voltarão a ser decididos por dez critérios, e não mais nove, como acontece desde 2015.

    O quesito conjunto é criticado por boa parte dos carnavalescos e comissões de carnaval. Eles entendem que o critério provoca dupla punição, uma vez que as agremiações podem ser penalizadas nos quesitos nos quais apresentaram problemas, e que isso pode se refletir também em novos descontos em conjunto.

    Presidente da Liesa, Jorge Perlingeiro quer permitir que cada jurado possa atribuir um décimo extra para a escola que fizer a melhor apresentação no quesito em que avalia. A medida, naturalmente, só valeria para as agremiações que tirassem nota dez. A ideia é escolher a melhor das melhores para o avaliador naquele critério. No entanto, o bônus seria opcional. O objetivo é evitar a utilização de quesitos-desempate na definição da campeã.

    “O nível de competição no carnaval do Rio de Janeiro é muito alto. As escolas são excelentes e muitas acabam merecendo nota dez. A ideia é que cada jurado escolha a agremiação que foi diferente e mostrou algo a mais em cada quesito. Mas será facultativo, o jurado poderá entender, por exemplo, que todas foram bem e que nenhuma merece essa deferência”, afirma Perlingeiro. Contudo, o tema também será avaliado na plenária.

    Os presidentes debaterão ainda outros temas, como o fim dos descartes. Atualmente, na quarta-feira de cinzas, quando acontece a apuração, as menores notas atribuídas às escolas em cada quesito são descartadas, com o objetivo de evitar distorções nos julgamentos. Os presidentes das agremiações vão avaliar ainda a possibilidade de os jurados fecharem os envelopes com as notas após cada noite de desfile, e não ao término de todas as apresentações.

    Neste caso, o objetivo é evitar discrepâncias como a concentração de campeãs originárias dos desfiles de segunda-feira, e não no domingo, quando os envolvidos acreditam que os jurados são mais rígidos, à espera de uma apresentação de impacto. “Estamos tentando alternativas para corrigir essas distorções. Nos últimos 35 carnavais, as agremiações que se apresentaram na segunda-feira foram campeãs 29 vezes. Nós acreditamos que isto não seja coincidência”, conclui o presidente da Liesa.

    A plenária que reunirá os presidentes das 12 escolas do Grupo Especial ainda não tem data para ocorrer, mas a previsão da Liesa é que seja marcada para um intervalo menor que 15 dias.

    Carnaval de 2022

    Para o desfile do ano que vem, a Marquês de Sapucaí passará por obras. Será realizado um recapeamento na pista, com piso especial, e serão colocadas bocas de lobo nos dois lados da Passarela do Samba. Atualmente, só há em um. O objetivo é evitar que a pista fique alagada em caso de chuva intensa durante as apresentações, como já aconteceu em outros carnavais. A licitação para as obras já foi autorizada pela Prefeitura do Rio e custarão R$ 1,8 milhão.

    A Liesa promete ainda nova iluminação para o sambódromo já em 2022. De acordo com a entidade, os primeiros testes já foram realizados e haverá ainda melhorias nos carros de som, para evitar que falhas como as que aconteceram nos últimos anos se repitam. Em janeiro, quando começarem os ensaios técnicos, a entidade fará testes de som e luz. Os desfiles do Grupo Especial do Rio de Janeiro serão nos dias 27 e 28 de fevereiro (domingo e segunda-feira).