Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    #CNNPop

    Entenda como influenciadora ganhou “terceira mama” após dar à luz: “Estou em choque”

    Influencer que deu à luz recentemente acreditou ser um pelo encravado, mas descobriu que do local sai até mesmo leite materno

    Influencer Tata Estaniecki é mãe de Beatriz e Caio
    Influencer Tata Estaniecki é mãe de Beatriz e Caio Reprodução/Instagram

    Beatrice Teizencolaboração para a CNN

    A influencer digital Tata Estaniecki revelou a seus seguidores no Instagram um fato curioso que aconteceu com ela após dar à luz a segundo filho, Caio, há três dias. Ela descobriu um “terceiro mamilo”, conhecido clinicamente como mama acessória.

    “Estou chocada. Já ouviram falar de mama acessória? Eu achava que estava com um pelo encravado e inflamado na axila, que estava me incomodando. Na última consulta com minha obstetra, ela avaliou e disse que era isso. De acordo com o que ela me falou, é muito comum de acontecer na gestação”, explicou.

    Tata disse ainda que o mesmo aconteceu na gravidez de Beatriz, hoje com três anos, mas que ela não se importou e a mama axilar acabou sumindo sozinha. A empresária contou também que sai leite materno do local.

    “Agora com o Caio voltou. Minha médica disse que muitas pessoas confundem com gordura na axila, mas isso acontece quando você tem o tecido mamário fora da região dos seios. E, se eu apertar a bolinha, sai leite. Como meu leite estava empedrando, faço a ordenha e fiz na axila também. Como nosso corpo é bizarro”, continuou. 

    Em seus stories, Tata mostrou a mama acessória / Reprodução/Instagram

    “Recebi várias mensagens dizendo que isso é mais comum do que eu pensava. Nunca imaginaria isso. Tem gente que faz cirurgia para tirar”, concluiu.

    Mama acessória pode afetar homens e mulheres

    Segundo a médica ginecologista e obstetra Renata Pouza, a polimastia, ou também chamada de mama supranumerária, é a presença de mais de duas glândulas mamárias e é um diagnóstico que pode ocorrer em homens e mulheres, desde antes do nascimento, no momento em que o feto está sendo formado, juntamente com a formação dos tecidos mamários. No entanto, se torna evidente em momentos em que há importantes estímulos hormonais, como na puberdade, gravidez ou  amamentação.

    “A condição pode se apresentar com todo o complexo mamário (mamilo, aréola, tecido mamário) ou somente o tecido mamário. O local mais comum é na região da axila, mas também pode ser encontrada no pescoço, pernas e costas. E, por se tratar de tecido mamário, sofre as mesmas influências de uma mama normal. Por isso é comum, em consultas ginecológicas, realizarmos também a palpação da axila”, explicou.

    Segundo Renata, a polimastia pode causar desconforto, como dor, aumento de volume e, quando completamente desenvolvida, também pode ser estimulada à liberação de leite durante a amamentação, que foi o que ocorreu com Tata Estaniecki.

    Ela diz ainda que não há indicação de retirada da glândula, por ser uma questão mais de estética, uma vez que a área é sensível e o pós-operatório pode ser um pouco ruim. Mas que o procedimento pode ser feito caso haja desconforto para o paciente.

    “É importante ressaltar que, por ser um tecido mamário, está sujeito a sofrer as mesmas alterações de uma mama normal, então, é fundamental a avaliação em diagnósticos diferenciais de doenças mamárias, sejam elas benignas ou malignas”, finalizou.