Ex-agente de Johnny Depp descreve descontrole do ator nas drogas e nas finanças

Testemunhas levadas pela defesa da atriz revelam que ele passou por um "desespero financeiro" em 2015 - chegou a gastar US$ 300 mil com funcionários particulares por mês

Ator Johnny Depp no início de maio, quando prestou depoimento
Ator Johnny Depp no início de maio, quando prestou depoimento 19/04/2022 Jim Watson/Pool via REUTERS

Sonia Mogheda CNN

Ouvir notícia

Os jurados do caso de difamação em andamento entre a atriz Amber Heard e seu ex-marido Johnny Depp ouviram depoimentos na quinta-feira (19) do ex-agente de talentos de Depp e seu ex-gerente de negócios, que descreveu a tensão em seus relacionamentos com o ator como seu suposto abuso de substâncias.

Tracey Jacobs, que testemunhou em um depoimento gravado, disse que representou Depp por 30 anos como seu agente de talentos e disse que ele era “a maior estrela do mundo”. Jacobs contou que Depp a demitiu na mesma época em que se separou de outros parceiros de negócios.

Jacobs falou que ela era honesta com Depp, de que chegar atrasado consistentemente aos sets assim como seu comportamento, incluindo uso de drogas e álcool, estava prejudicando sua carreira. Ela testemunhou que Depp regularmente tinha de usar um fone de ouvido enquanto estava no set para poder receber suas falas.

“Sua estrelato diminuiu devido à dificuldade de conseguir emprego, dada a reputação que ele adquiriu devido ao atraso e outras coisas”, testemunhou Jacobs.

Como parte de seu processo, Depp alegou que o editorial de Heard o fez perder trabalho, incluindo dezenas de milhões de dólares que ele disse que seria pago pelo sexto filme “Piratas do Caribe”, que ele não fez parte. Jacobs também testemunhou que não conseguia se lembrar que a Disney se comprometeu a ter Depp no ​​filme.

Ela disse que, a certa altura, Depp estava em estado de “desespero financeiro” e pediu à agência que lhe desse US$ 20 milhões.

Os jurados também ouviram um depoimento gravado do ex-gerente de negócios de Depp, Joel Mandel, de quem Depp se separou em 2016 e cuja empresa Depp processou em 2017, acusando-a de má administração de seus ganhos. O processo foi resolvido em 2018.

Mandel testemunhou que por volta de 2010 ficou mais difícil trabalhar com Depp devido ao uso aparentemente uso de substâncias.

“O que eu sempre percebi como alguém que gostava de apreciar seu vinho no final do dia tornou-se um consumo que parecia excessivo”, testemunhou Mandel. “A capacidade de coordenar e encontrar momentos para nos encontrar tornou-se mais difícil. Ficou claro com o tempo que havia problemas com álcool e drogas. E isso se traduziu em comportamento mais errático, comportamento mais estressante, mais vezes em que era difícil se envolver nos tipos de conversa que eu precisava para fazer meu trabalho.”

Mandel disse que começou a expressar regularmente suas preocupações com as “circunstâncias financeiras terríveis” de Depp em 2015 e disse que, embora a renda de Depp fosse muito significativa, seus gastos também eram. Ele disse que a certa altura Depp pagou US$ 300.000 por mês aos funcionários.

A equipe jurídica de Amber Heard apontou para o fato de que vários funcionários pagos de Depp testemunharam como parte de seu caso contra ela e os acusou de ficar do lado de Depp porque ele os paga.

Um ex-amigo de Depp, Bruce Witkin, testemunhou em um depoimento gravado que Depp parou de falar com ele há quatro anos após o testemunho que Witkin deu em um processo. Ele falou que viu Heard e Depp com ferimentos, mas nunca presenciou brigas físicas entre eles. Witkin disse ainda que conversou com Depp sobre seu abuso de substâncias e disse que as pessoas que trabalhavam ao seu redor nem sempre estavam dispostas a falar sobre isso.

“Como eu disse, as pessoas na folha de pagamento não dizem muito. Eles tentam, mas não querem perder o emprego. Não estou dizendo que todos se enquadram nessa categoria”, disse Witkin.

Depp processou Heard em US$ 50 milhões, alegando que um editorial de 2018 que ela escreveu no Washington Post o difamou. Depp afirma que o texto – que não o mencionou pelo nome – o pintou falsamente como um agressor. Heard processou Depp por US$ 100 milhões, dizendo que as declarações que seu advogado fez chamando suas alegações de abuso de “farsa” eram difamatórias.

Amber Heard finalizou seu depoimento no início desta semana.

Este conteúdo foi criado originalmente em inglês.

versão original

Mais Recentes da CNN