Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    #CNNPop

    Ex de Amy Winehouse, que faria 40 anos hoje, diz que não tem culpa sozinho por abusos de cantora

    Blake Fielder-Civil deu entrevista a canal britânico; Artista morreu em 2011 após uma intoxicação por álcool

    Blake Fielder-Civil também falou sobre porque não mantém contato com a família da artista
    Blake Fielder-Civil também falou sobre porque não mantém contato com a família da artista Reprodução de vídeo/Twitter/@GMB

    Larissa Soarescolaboração para a CNN

    São Paulo

    Blake Fielder-Civil, ex-marido de Amy Winehouse, deu uma entrevista exclusiva para o programa “Good Morning Britain”, da emissora britânica ITV, e falou sobre a falta que sente da cantora, que completaria 40 anos nesta quinta-feira (14).

    Blake e Amy se conheceram em 2005, mas só oficializaram a união em 2007, e terminaram dois anos depois, em 2009.

    A artista, inclusive, dedicou uma das suas músicas mais conhecidas para o ex, no começo do relacionamento, em 2006, quando lançou o álbum “Back do Black”, com a canção de mesmo nome, que mostrava a relação intensa que o casal tinha, rodeada também da dependência química e alcoólica.

    “É triste, mas eu queria dizer feliz aniversário para Amy. É devastador que ela não esteja aqui. Penso nela o tempo todo, pensei nela esta manhã quando lhe dei parabéns, ela era minha melhor amiga”, disse.

    “Se não fosse por alguns fatores, acho que poderia ter sido um resultado diferente. Tudo aconteceu muito rapidamente para Amy. Éramos muito jovens”, completou.

    Em julho de 2011, aos 27 anos, Amy Winehouse foi encontrada morta em sua casa, em Londres, na Inglaterra.

    O laudo constatou que ela morreu de intoxicação por álcool.

    Culpa e dependência química

    Aos apresentadores Susanna Reid e Ben Shephard, o ex da cantora comentou sobre como os fãs de Amy o culparam por sua dependência química.

    Ele também disse que amigos próximos e outros familiares também deveriam responder sobre este assunto.

    “Essa é uma das razões pelas quais eu queria falar hoje. Eu [sou culpado] e tudo bem. Não posso mudar o que as outras pessoas pensam sobre isso, mas, pessoalmente, precisava parar de carregar esse fardo. Carrego isso há mais de 10 anos”, contou.

    “Sou a única pessoa nessa história que já assumiu alguma responsabilidade. Cometi alguns erros graves. Eu também era dependente em drogas aos meus 20 e poucos anos. Eu não tinha ideia de como ficar sóbrio, muito menos ajudar outra pessoa”, falou.

    Questionado se tem algum contato com a família da artista, ele falou que “não tem certeza sobre isso” e que no momento está “reconstruindo” a si mesmo.

    “‘Não tenho certeza sobre os interesses deles, mas, pessoalmente, isso é algo que passa muito pela minha cabeça. Teve momentos em que pensei: ‘Haveria algum valor em eu falar com a família dela? Algum tipo de reconciliação?’. Em comum, todos nós amávamos aquela pessoa”, completou.