Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    #CNNPop

    Ex-Tiazinha, Suzana Alves usa máscara para pregar nas redes sociais

    Depois de deixar o papel da personagem, em 2000, a atriz e empresária se converteu à religião evangélica

    Suzana Alves, a antiga Tiazinha, se converteu à religião evangélica há mais de 20 anos
    Suzana Alves, a antiga Tiazinha, se converteu à religião evangélica há mais de 20 anos Instagram/Suzana Alves

    Beatrice Teizencolaboração para a CNN

    Símbolo sexual dos anos 1990, Suzana Alves ficou famosa interpretando a Tiazinha na televisão, trajando cinta-liga, chicote e máscara. Depois de deixar o papel da personagem, em 2000, a atriz e empresária se converteu à religião evangélica e hoje publica uma série de mensagens e prega em suas redes sociais.

    “Você acha que a vida é só dormir, acordar, ir ao trabalho, ganhar dinheiro, deixar o filho na escola, seguir toda essa rotina, se preocupar com contas e despesas? Não. É preciso passar tempo com a família, se relacionar, entender o propósito da vida. Jesus já falava que o amor ia esfriar no mundo e não esfriou, congelou. Até quando você vai deixar de se conectar com seus filhos pensando em ganhar mais em vez de viver mais e se relacionar com sua família, Deus e com quem você ama?”, questionou ela em um vídeo no Instagram.

    Em uma publicação mais recente, Suzana aproveitou para fazer uma analogia com um objeto que marcou a época da Tiazinha – a máscara preta. Segurando-a nas mãos, a atriz disse que para uma pessoa mostrar sua verdadeira identidade é necessário abandonar o item.

    “Qualquer máscara, maquiagem, desculpa, título, poder, plástica… não pode te levar à sua verdadeira essência, mesmo você tendo ficado conhecido ou rico com aquilo que você estudou e desejou na sua vida. A única coisa que traz a sua verdadeira essência, sua verdadeira identidade, é o abandono dessas máscaras, mesmo você sendo importante, sendo quem você é”, disse.

    A ex-Tiazinha finalizou o vídeo falando que é importante deixar as inseguranças de lado. “Largue essas defesas e desculpinhas e abandone essas máscaras que a sociedade ou você coloca sobre você mesmo. E aí você se encontrará. Abandone as máscaras”, enfatizou.