Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    #CNNPop

    Gkay diz compartilhar escova de dentes com namorado; quais são os riscos?

    Especialista diz que prática pode aumentar risco de transmissão de bactérias, vírus e fungos presentes na boca

    A influenciadora digital Gkay
    A influenciadora digital Gkay Reprodução/Instagram

    Bárbara Carvalhocolaboração para a CNN

    São Paulo

    Gkay movimentou as redes sociais ao fazer um questionamento para os seus seguidores. Em seu perfil no Instagram, a influenciadora perguntou se eles costumam compartilhar a escova de dentes com o namorado.

    “Uma coisa aleatória que veio na minha cabeça, agora que eu namoro. É normal pra vocês escovar os dentes com a escova do seu cônjuge?”, escreveu nos stories da rede.

    O hábito da empresária dividiu opiniões na web. Muitos internautas assumiram que dividem ou já compartilharam o utensílio, enquanto outra parte confessa sentir repulsa pela atitude.

    Para esclarecimento do assunto, Adriano Rafael, cirurgião dentista em Belo Horizonte (MG), contou à CNN Brasil que, diariamente, um conjunto de bactérias e outros microrganismos se acumulam na cavidade bucal e na superfície dos dentes formando o biofilme dentário.

    “Caso não haja sua remoção por meio da escovação e da redução do consumo de alimentos açucarados e ultraprocessados, os biofilmes (comunidades biológicas com um elevado grau de organização, onde as bactérias formam comunidades estruturadas) vão se ampliando”, diz.

    Adriano também conta que a escova de dentes tem como principal função a remoção da placa bacteriana e dos resíduos de alimentos, prevenindo doenças bucais como cárie e gengivite. “Ela funciona através da ação mecânica das cerdas, que ajudam a desalojar e remover esses detritos dos dentes e gengivas.”

    Sobre compartilhar escova com outros indivíduos, o especialista enfatiza que o utensílio precisa ser de uso pessoal e intransferível. “Compartilhar escovas de dentes pode aumentar o risco de transmissão de bactérias, vírus e fungos presentes na boca. Doenças como gripe, resfriados e infecções bucais podem ser transmitidas dessa forma”, explica.

    “A escova pode acumular germes ao longo do tempo. Recomenda-se enxaguar bem a escova em água corrente após o uso, deixá-la secar naturalmente e armazená-la em posição vertical. O ideal, é ainda não armazenar no banheiro, que é um ambiente com alto índice de umidade e propício à proliferação de microrganismos”, complementa.

    Dicas do especialista para cuidados com a escova

    • Troque a escova a cada 3 a 4 meses, ou antes caso as cerdas estejam danificadas;
    • Enxágue bem com água corrente após o uso;
    • Para secagem, após uso, mantenha-a em posição vertical sem que a parte superior encoste em nenhuma superfície, em ambiente seco, fresco e arejado evitando locais com muita umidade ou que favoreçam a proliferação de microorganismos;
    • Não compartilhe escovas, é um utensílio de uso exclusivamente pessoal;
    • Evite guardar a escova em locais úmidos e fechados, como estojos de viagem, pois isso favorece o crescimento de bactérias;
    • Caso vá transportar, proteja as cerdas para evitar contaminação, com estojo próprio, porém, apenas coloque a escova no estojo após completamente seca;
    • É importante não guardar várias escovas juntas, para evitar a transferência de germes.