Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Kevin Spacey é condenado a pagar quase US$ 31 milhões à produtora de House of Cards

    Produtora afirma que ter que cortar o ator da sexta temporada da série custou milhões de dólares

    Chloe MelasStella Chanda CNN

    Ouvir notícia

    O ator Kevin Spacey terá que pagar quase US$ 31 milhões à Media Rights Capital (MRC), a produtora por trás de “House of Cards”, conforme decidiu uma juiza nos Estados Unidos. O ator estrelou a série da Netflix por cinco temporadas antes de ser demitido em 2017.

    A juíza da Corte Superior de Los Angeles, Mel Red Recana, proferiu a decisão no início desta semana, confirmando uma sentença que havia sido decidida por um árbitro no ano passado. A CNN obteve os documentos do tribunal.

    Spacey e a produtora MRC têm lutado nos últimos anos, desde que o ator foi demitido da produção por alegações de má conduta dentro e fora do set.

    Kevin Spacey estrelou como Frank Underwood no programa vencedor do Emmy, e a MRC afirma que ter que cortá-lo da sexta temporada do programa custou milhões de dólares e “responsabilizou ele (e suas entidades afiliadas)”.

    Spacey foi demitido do programa de TV um dia depois que a CNN publicou seu relatório em 2017, onde vários membros atuais e antigos da equipe de produção de “House of Cards” apresentaram alegações de assédio sexual. Uma pessoa também acusou Spacey, então produtor executivo da série, de agressão sexual.

    Pouco antes da reportagem da CNN, o ator Anthony Rapp disse ao BuzzFeed News que o ator fez uma investida sexual contra ele em uma festa em 1986, quando ele tinha 14 anos.

    A MRC diz que interrompeu a produção “para resolver quaisquer preocupações do elenco e da equipe do programa” após as alegações, de acordo com um documento de 2021 e relatado anteriormente pela CNN.

    Após as alegações de Rapp, Spacey divulgou uma declaração alegando que não se lembrava do incidente e se desculpou pelo que disse ter sido “comportamento bêbado profundamente inadequado”.

    Este conteúdo foi criado originalmente em inglês.

    versão original

    Mais Recentes da CNN