Mick Jagger lidera o tributo dos Rolling Stones ao baterista Charlie Watts

Além dos membros da banda, artistas como Paul McCartney e Elton John também prestaram homenagens ao baterista

Charlie Watts durante show dos Rolling Stones em Chicago
Charlie Watts durante show dos Rolling Stones em Chicago 21/06/2019 REUTERS/Daniel Acker

Jeevan Ravindranda CNN

Ouvir notícia

Mick Jagger, Keith Richards e Ronnie Wood prestaram homenagem ao seu colega de banda dos Rolling Stones, Charlie Watts, que morreu na terça-feira (24) aos 80 anos.

O baterista Watts, que se tornou parte do quarteto dos Stones ao lado de Jagger, Richards e Wood, tocou na banda por mais de 50 anos.

Seus colegas de banda lideraram os tributos nas redes sociais, com Jagger postando uma foto no Twitter e Instagram da bateria de Watts.

Richards também postou uma foto em suas contas de mídia social de uma bateria com uma placa “Fechado” pendurada sobre ela.

Wood postou uma foto de si mesmo com Watts, acrescentando: “Eu amo você, meus companheiro geminiano, vou sentir muito a sua falta. Vocês são os melhores.”

Os Stones anunciaram no início deste mês que Watts perderia a próxima etapa norte-americana da turnê “No Filter” da banda, após passar por um procedimento médico para um tratamento não divulgado ao público.

Na terça-feira, o porta-voz de Watts disse à CNN que Watts “faleceu pacificamente em um hospital de Londres hoje cedo cercado por sua família”, acrescentando que ele era “um dos maiores bateristas de sua geração”.

Vários outros músicos também compartilharam suas memórias e homenagens a Watts nas redes sociais, com muitos dizendo que foram pessoalmente inspirados pelo baterista.

“Amo você Charlie, sempre amei. Belo homem, e grandes condolências e empatia à sua família”, disse o ex-Beatle Paul McCartney em um vídeo no Twitter, acrescentando que a morte de Watts foi um “grande golpe” para os Rolling Stones.

Mike McCready, guitarrista do Pearl Jam disse: “Qualquer um de nós em uma banda de rock não estaria aqui se não fosse por Charlie.”

Enquanto isso, a banda de rock Aerosmith postou no Twitter: “Estamos extremamente tristes ao ouvir o falecimento do lendário Charlie Watts. Nossas mais profundas condolências à família de Charlie e aos Rolling Stones.” O Aerosmith acrescentou que Watts “nos deu muito”.

Em 1962, Brian Jones formou os Rolling Stones com o cantor Jagger, o pianista Ian Stewart e os guitarristas Richards e Dick Taylor. Watts inicialmente recusou a primeira oferta do grupo para ingressar, mais tarde concordou e fez seu primeiro show com eles em janeiro de 1963. Outro baterista e ex-membro do Grateful Dead, Mickey Hart, disse que Watts era “um colosso no mundo do rock ‘n ‘roll. Suas mãos e pés dançavam como Nureyev, tão elegante, tão gracioso.”

Na terça-feira à noite, o Caesars Superdome em Louisiana, anteriormente conhecido como Louisiana Superdome, exibiu o logotipo característico dos Rolling Stones de uma língua e lábios em homenagem a Watts.

Enquanto isso, os trabalhadores do metrô de Londres prestavam homenagem a Watts com um poema comovente. “Charlie Watts, você é uma lenda e nunca o esqueceremos. O amor é forte para você e que lhe dê abrigo, enquanto sobe em sua nuvem e traz o rock ‘n’ roll ao paraíso.”

Watts deixou sua esposa por mais de 50 anos, Shirley, sua filha Seraphina e sua neta Charlotte.

“Um dia muito triste. Charlie Watts foi o melhor baterista”, escreveu o cantor Elton John em um tweet. “O mais estiloso dos homens e uma companhia brilhante. Minhas mais profundas condolências a Shirley, Seraphina e Charlotte. E, claro, aos Rolling Stones.”

Mais Recentes da CNN