Morre o pianista João Carlos Assis Brasil, aos 76 anos

Músico carioca transitava tanto entre a música clássica quanto a popular

O pianista João Carlos Assis Brasil
O pianista João Carlos Assis Brasil Partituras/TV Brasil/Agência Brasil

Juliana Eliasda CNN*

em São Paulo

Ouvir notícia

Morreu nesta segunda-feira (6) o pianista João Carlos Assis Brasil, aos 76, em decorrência de um infarte.

A informação foi confirmada pela assessoria do artista, por meio de uma nota publicada em suas redes sociais.

“Comunicamos com profunda tristeza o falecimento hoje do nosso querido João Carlos Assis Brasil, em decorrência de um infarto na última sexta-feira. Ele cumpriu sua missão por aqui e agora sua obra se eterniza”, diz o comunicado.

João Carlos Assis Brasil nasceu no Rio de Janeiro, em 28 de agosto de 1945. Começou a estudar música ainda criança, no Conservatório Brasileiro de Música e, na adolescência já integrava orquestras.

O pianista também estudou no exterior, em diferentes países, e transitava tanto entre a música clássica quanto a popular.

Ney Matogrosso, Maria Bethânia, Zizi Possi, Alaíde Costa e Wagner Tiso são alguns dos artistas com quem trabalhou ao longo de sua carreira.

João Carlos era irmão gêmeo do saxofonista Victor Assis Brasil, apontado como um dos principais instrumentistas da história do jazz brasileiro, e que morreu prematuramente em 1981, aos 35 anos.

“Com muita tristeza que soubemos da partida de João Carlos Assis Brasil, professor de piano que por muitos anos deu aulas na Escola de Música Villa-Lobos”, escreveu a escola de música localizada no Rio de Janeiro, e uma homenagem feita ao colega nas redes socias.

“João Carlos Assis Brasil era considerado uma lenda viva do piano brasileiro (…). Estudou piano clássico desde a infância, chegando a conquistar prêmios internacionais. Aprimorou-se na música popular americana, como nas trilhas de clássicos do cinema e do jazz, e retornou ao Brasil como um fenômeno do piano”, conta a nota.

*Com informações da Agência Brasil

Tópicos

Mais Recentes da CNN