Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    #CNNPop

    O homem perfeito está na Coreia do Sul? As mentiras que os k-dramas contam

    As youtubers Amanda e Marcella, do Oh My Friend!, falam como é a experiência de namorar sul-coreanos

    Reprodução/Goblin

    Isabela Gadelhada CNN Brasil Soft

    “Round 6” é uma produção coreana que fez muito sucesso e ganhou prêmios importantes, como Emmy e Globo de Ouro. Mas, caso a sua experiência com dramas coreanos se limite a de um jogo cheio de sangue e violência, saiba que as comédias românticas têm muitos fãs ao redor do mundo.

    São romances ‘slow burn’, ou seja, onde você acompanha lentamente a história de amor de protagonistas. O primeiro beijo demora tanto para acontecer que o simples toque de mãos já deixa o espectador nas nuvens.

    Mas o que chama a atenção mesmo são os personagens masculinos, como os dos dramas “Pousando no Amor”, “Goblin” e “Pretendente Surpresa”. Por conta da onda coreana – a chamada “hallyu” – as produções coreanas estão cada vez mais famosas, e isso fez com que mulheres do lado de cá do globo acreditassem que os homens da vida real são como os da tela.

    Muitas estrangeiras têm feito as malas e ido para Seul com o sonho de encontrar o ‘mozão’ da vida, mas, chegando lá, se depararam com uma dura realidade: não se namora com alguém só por conta da nacionalidade.

    Em entrevista ao quadro K-Tudo CNN Soft, as youtubers Amanda e Marcella, do canal Oh My Friend!, compartilharam um pouco da experiência quem têm por morarem há anos na Coreia do Sul. Quando perguntadas se, afinal, os homens de k-dramas existem, elas foram enfáticas: “não!”.

    Amanda e Marcella frisaram o quanto é perigoso ir à Coreia do Sul pensando apenas nisso. Afinal, hoje em dia os coreanos sabem desse ‘boom’ de estrangeiras que querem namorá-los. “Você pode encontrar o melhor coreano, que vai te tratar bem. Ou você vai achar o coreano com quem pode ter um relacionamento abusivo, que vai tirar vantagem de você”, avisa Amanda.

    Assista à entrevista completa no YouTube: