Paul McCartney diz que foi John Lennon quem causou rompimento dos Beatles

Revelação foi feita em entrevista à BBC britânica. McCartney descreveu o período como o "mais difícil" de sua vida

Jeevan Ravindranda CNN

Ouvir notícia

Quando a maior banda da história musical britânica, “The Beatles“, se separou em 1970, os fãs apontaram o dedo para o vocalista e baixista Paul McCartney.

Agora, mais de meio século depois, McCartney revelou que foi, de fato, John Lennon quem instigou a separação da banda.

Em uma entrevista à BBC Radio 4 ainda a ser divulgada, McCartney contou ao jornalista John Wilson: “John entrou na sala um dia e disse: ‘Estou saindo dos Beatles’. E ele disse: ‘É muito emocionante. É um pouco como um divórcio’. E então ficamos para colher os pedaços”, afirmou McCartney em uma prévia que foi ao ar no programa “Today Monday”.

Enquanto Wilson destacou que McCartney foi quem processou seus companheiros de banda para acabar com a parceria comercial, ele também disse que a condição de culpado pela separação da banda teria “frustrado McCartney por meio século”.

McCartney disse que a decisão de Lennon de deixar a banda foi impulsionada por sua busca pela justiça social, incluindo movimentos como o “bagism”, em que Lennon e sua esposa, Yoko Ono, usavam sacolas de pano para incitar as pessoas a não julgar os outros baseado em sua aparência.

Lennon e Ono também fizeram a campanha “bed-ins” pela paz em Amsterdã e Montreal em 1969, quando ambos se deitaram em quartos de hotel por uma semana em protesto contra conflitos, particularmente a Guerra do Vietnã.

“O ponto é que John realmente estava vivendo uma nova vida com a Yoko. Ele queria entrar em uma sacola e ficar deitado na cama por uma semana, em Amsterdã, pela paz”, disse McCartney. “Não se discutia contra isso”.

Lennon e Ono em frente ao edifício Dakotta
Yoko Ono e John Lennon em Nova York / Foto: Reprodução/YouTube

McCartney descreveu a separação como o “período mais difícil” de sua vida e disse imaginar que os Beatles continuariam por mais tempo se Lennon não tivesse instigado a separação.

“Os Beatles estavam se separando e esta era minha banda, este era meu trabalho, esta era minha vida”, disse ele. “Eu queria que continuasse, achava que estávamos fazendo coisas muito boas – ‘Abbey Road’, ‘Let It Be,’ nada mal”.

McCartney lançará um livro de comentários sobre suas composições no próximo mês, que será editado pelo poeta irlandês Paul Muldoon e incluirá canções escritas para os Beatles.

Ele também disse a Wilson que ele e Lennon tinham escrito uma peça de quatro páginas no gênero “kitchen sink” antes de começarem a banda.

A entrevista completa será transmitida no dia 23 de outubro.

(Esta matéria foi traduzida. Leia a original, em inglês)

Mais Recentes da CNN